Em noite inspirada de Endrick, Palmeiras vence o Botafogo com direito a virada histórica

Após sofrer três gols no primeiro tempo e "cair no tapetinho", o Verdão soube dar a volta por cima e mostrar mais uma vez que é o time da virada.
Em noite inspirada de Endrick, Palmeiras vence o Botafogo com direito a virada histórica (Foto: Cesar Greco/Palmeiras/by Canon)
Em noite inspirada de Endrick, Palmeiras vence o Botafogo com direito a virada histórica (Foto: Cesar Greco/Palmeiras/by Canon)

A noite desta quarta-feira (01) no Estádio Nilton Santos foi uma dessas para guardar na memória, seja para o bem ou mal. Botafogo x Palmeiras protagonizaram um jogo alucinante com sete gols, expulsão, pênalti e a maior virada da edição atual do Brasileirão.

Em campo pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Botafogo, líder então com seis pontos e um jogo a menos em relação ao vice-líder, Palmeiras, só precisava vencer em casa. Enquanto isso, o embalado time do técnico Abel Ferreira chegou para a partida com moral, após vencer os três últimos jogos.

Apontado desde o último domingo (29) como “o jogo que pode decidir o Campeonato”, o duelo entre Botafogo x Palmeiras começou com enormes expectativas. Nada mais justo, não apenas pela história das equipes, mas também pelos momentos que vivem na competição.

Botafogo x Palmeiras

Escalado com uma proposta ofensiva e extremamente vertical, o Botafogo foi para cima do segundo colocado. Enquanto o Palmeiras, com seu uniforme “verde marca texto” em homenagem a Terceira Academia, acreditava na vitória para ofuscar o líder.

Apesar disso, foi o futebol da Estrela Solitária que se destacou no primeiro tempo. Amassando o Verdão, o Botafogo marcou três gols em 15 minutos, praticamente um a cada 5 minutos jogados.

Aos 20’ minutos, o primeiro gol viria dos pés de Eduardo. O meio-campista recebeu um lindo passe de Victor Sá, que após ser lançado por Marçal em profundidade, tirou Richard Ríos para dançar e encontrou o Camisa 33, que mandou para as redes alviverdes chutando de primeira no contrapé de Weverton.

Em seguida, foi a vez do volante Tchê Tchê, acertar um chutaço na gaveta do goleiro do Verdão, que ainda chegou a tocar na bola, mas não conseguiu evitar que ela fosse as redes. Com o gol, o Botafogo ampliava a vantagem no placar e ficaria confortável para achar oportunidades nos contra-ataques.

Nesse sentido, o terceiro gol alvinegro surgiu justamente de um contra-ataque puxado por Júnior Santos. O Camisa 37 do Botafogo arrancou em velocidade e chegou a ser perseguido por cinco ‘marcadores’ do Verdão. Mesmo assim, encontrou um passe para Tiquinho Soares arriscar o chute contra Weverton. O goleirão até defendeu em um primeiro momento, mas no rebote o próprio Júnior Santos marcou o terceiro do jogo.

On fire”, o Botafogo dominou o primeiro tempo e a segunda etapa prometia ainda mais, já que o Palmeiras, em desvantagem teria de se arriscar. Contudo, um jogador seria decisivo para inspirar a reação palmeirense em campo, o atacante Endrick.

O inspirado e inspirador Endrick

Apesar do primeiro tempo abaixo feito pelo time do Palmeiras, um nome se destacou na equipe. Endrick, a joia palmeirense de apenas 17 anos, vem fazendo boas atuações, sendo um dos “tratores” que puxam essa escalada alviverde.

Contudo, o Camisa 9 vinha passando em branco, nos últimos duelos vencidos pelo Verdão. Apesar disso, diante do Botafogo, o moleque decidiu assumir a responsabilidade no segundo tempo.

Logo aos 4′ minutos, Endrick recebeu no meio-campo, encarou a marcação e deixando quatro botafoguenses pelo caminho, chegou a área. De frente com Lucas Perri, o Camisa 9 acertou um chute cruzado por baixo do goleiro do Glorioso.

Focado, o garoto nem comemorou direito. Correu, buscou a bola nas redes, colocou-a embaixo de seu braço e levou ao meio de campo, como se dissesse que “ainda tinha jogo”.

De fato ainda teria jogo e muito. Se o Palmeiras foi amassado no primeiro tempo, no segundo seria a vez do Verdão amassar o Botafogo. Empilhando oportunidades, o Verdão buscava fazer no segundo tempo, aquilo que não fez no primeiro: “Jogar”.

Expulsão contra o Botafogo e o pênalti contra o Palmeiras

Aos 30’ minutos de jogo, Adryelson seria expulso no Botafogo. Então último homem da zaga (na interpretação da arbitragem), o defensor cometeu falta em Breno Lopes, que sairia em boas condições de marcar.

A decisão, só foi tomada pelo árbitro Braulio da Silva Machado, após consulta no VAR. A revisão, no entanto, não ocorreu minutos depois, quando Tiquinho foi derrubado na área por Rony, que acertou a bola de carrinho, em lance discutível.

Autorizada a cobrança, o Camisa 9 do Botafogo parou em Weverton, que defendeu também o chute botafoguense no rebote. Por vezes criticado erroneamente por “não pegar pênaltis”, o goleiro palmeirense fez uma defesa que impulsionaria ainda mais a equipe.

Uma virada histórica

Apenas um minuto após perder o pênalti, o Botafogo sofreria mais um golpe duro. Endrick, arrancando pela ponta-direita, sofreu uma falta de Marçal. Na cobrança de Raphael Veiga para a área, o moleque ficou com o rebote na entrada da área, ajeitou para a esquerda e soltou uma bomba no canto de Lucas Perri.

O segundo gol, aos 38′ minutos de partida, daria ao Palmeiras ainda mais força para buscar o empate nos minutos finais e ele veio com Flaco Lopéz. Após cruzamento de Endrick pela direita, Gustavo Gómez ajeitou de cabeça para o atacante argentino completar da mesma forma para o fundo do gol botafoguense.

O empate que calou o Nilton Santos, já fazia da partida entre líder e vice-líder uma das melhores do Brasileirão. O que falar então da virada no último minuto de jogo?

No que seria o último lance da partida, o toque de Di Placido com a mão na bola, custaria caro ao Glorioso. Na falta, Raphael Veiga mandou na área. No cruzamento do Camisa 23, o zagueiro Murilo apareceu no segundo poste para marcar o gol da vitória de virada do Verdão. Final Botafogo 3×4 Palmeiras!

Classificação e próximos jogos

Com o resultado, o Campeonato Brasileiro, que parecia decidido para o Botafogo ganhou ainda mais emoção para as rodadas finais. Com um jogo a menos e uma vantagem de três pontos, o Glorioso só depende de si para ser campeão.

Enquanto isso o Palmeiras segue como vice-líder e precisará manter a sequência de vitórias e ainda torcer por dois tropeços botafoguenses. Ao mesmo tempo, Grêmio, Atlético-MG e Bragantino, seguem correndo por fora.

Neste final de semana, a 32ª rodada do Brasileirão, terá o Botafogo encarando o Vasco em São Januário, na próxima segunda-feira (06), às 19:00 (horário de Brasília). Antes disso, ainda no sábado (04), o Palmeiras receberá o Athletico-PR na Arena Barueri, às 21h30.

COMPARTILHE: