Veja às mudanças de Fernando Diniz para enfrentar a Argentina

Treinador da Seleção Brasileira pretende fazer apenas duas alterações entre os titulares mantendo Rodrygo na criação.
Diniz indica mudanças que fará para enfrentar a Argentina (Fotos: Joilson Marconne/ CBF)
Diniz indica mudanças que fará para enfrentar a Argentina (Fotos: Joilson Marconne/ CBF)

Às vésperas de enfrentar a Argentina no Maracanã, pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo 2026, o Brasil busca se recuperar após seu terceiro tropeço na competição. Diante da Seleção Argentina de Lionel Scaloni, o técnico Fernando Diniz indicou que deverá fazer poucas mudanças e levar a campo um time parecido ao utilizado na derrota diante da Colômbia. Em seu último treino na Granja Comary, o treinador confirmou duas mudanças na escalação, promovendo Carlos Augusto e Gabriel Jesus nas posições de Renan Lodi e Vini Jr, respectivamente.

Vindo de três resultados negativos, o Brasil busca se recuperar em casa diante da Seleção Argentina nas Eliminatórias. Enquanto a Albiceleste, que também foi derrotada pelo Uruguai em La Bombonera, chega para o duelo buscando voltar a vencer após o seu primeiro tropeço na competição.

Contando com o apoio da torcida brasileira no Maracanã, Diniz projetou suas expectativas para o confronto contra os argentinos. “Eu acredito que a Seleção vai contribuir para o ambiente. Concordo que o Maracanã responde de maneira diferente quando as coisas não andam bem. Historicamente é assim. Vai depender de como [a Seleção Brasileira] vai se portar em campo. Espero um grande jogo. É uma equipe de qualidade, tem um dos maiores jogadores da história. A gente se preparou muito para o jogo e espera fazer uma grande partida. Que a torcida consiga jogar junto com o time”, idealizou o treinador.

Permanências e mudanças no time que enfrenta a Argentina

Quanto a permanência de alguns jogadores que não foram bem diante da derrota por 2×1 para a Colômbia, em Barranquilla, chama a atenção a insistência no lateral-direito Emerson Royal. Após uma partida abaixo do esperado e com falhas decisivas para o resultado negativo, o lateral será mantido para o duelo contra a Argentina de Lionel Messi.

Com uma atuação geralmente abaixo da crítica atuando como “meio-campista/atacante” na Seleção, Rodrygo será mantido na função. Nesse sentido, o Brasil seguirá em um esquema com quatro atacantes e apenas dois meias de contenção e criação, o que na visão de Diniz não deixa a Seleção necessariamente desprotegida ou mais exposta.

“Eu não enxergo o futebol da maneira que vocês enxergam, que se colocasse mais um jogador, um volante ou meia o time ficaria mais protegido. Não encaro assim. O Brasil na Copa do Mundo jogou com uma formação parecida. O Neymar, que também é atacante, dois pontas abertos, um centroavante, e o Paquetá, com característica mais ofensiva até do que o Bruno Guimarães. Tratam o quarteto como uma coisa inovadora, coisa que não é. O que muda é que tem um novo jeito de jogar, com mais agressividade, e a equipe vai se adaptando, isso leva um pouco de tempo”, iniciou Diniz. “A minha maneira de pensar o futebol não é departamentalizando o jogo: a defesa fica atrás, o meio de campo fica no meio, e o ataque fica na frente. É um jeito muito mais orgânico, mais junto, todos os jogadores têm que jogar de maneira coesa para a coisa funcionar de maneira mais efetiva”, concluiu o treinador.

No plano de Diniz, as mudanças a ser feitas para a partida contra a Argentina consistem nas entradas de Gabriel Jesus e Carlos Augusto. Enquanto o primeiro assumirá a vaga deixada por Vinicius Junior, após a lesão, o segundo deverá ser a opção no lugar de Renan Lodi na lateral-esquerda da Seleção Brasileira, que seguirá no 4-2-4.

Confira a provável escalação da Seleção Brasileira de Fernando Diniz: Alisson, Emerson Royal, Marquinhos, Gabriel Magalhães e Carlos Augusto; André e Bruno Guimarães; Raphinha, Gabriel Jesus, Rodrygo e Gabriel Martinelli.

Marcação individual? Mudança tática? Quais os planos de Diniz para parar Messi?

Na última partida contra o Uruguai, o esquema montado pelo técnico Marcelo Bielsa foi fundamental para reduzir o impacto de Messi na Seleção Argentina. Diante do time de Scaloni, o treinador da Celeste montou um esquema de marcação que visava evitar que a bola chegasse até o Camisa 10, marcando individualmente seus companheiros de criação e reduzindo as linhas de passe.

No Brasil, Fernando Diniz foi questionado sobre como preparar o time para jogar contra o melhor do mundo. O treinador no entanto revelou que não pretende mexer no esquema em função do atacante argentino, para não fugir das características que deseja para a Seleção Brasileira.

“O futebol não é isso, os encaixes e a coesão é que vão favorecer ou não no decorrer do jogo. Não tem como não se preocupar com um jogador desse tamanho. E a gente tem que jogar. Não fugir das características e ao mesmo tempo tentar conter toda a capacidade de criação que ele [Messi] possui”, analisou Diniz.

Brasil x Argentina

A bola rola para Brasil x Argentina no Maracanã, às 21h30 (horário de Brasília). Válido pela 6ª rodada das Eliminatórias Sul-americanas da Copa do Mundo 2026, a partida terá em campo uma Seleção Brasileira desfalcada e em reformulação, contra uma Argentina campeã da Copa e com o atual Melhor Jogador do Mundo vestindo a Camisa 10.

COMPARTILHE: