PIX: Especialista em crimes cibernéticos dá orientações de segurança digital

outubro 6, 2020 0 Por Romário Nicácio
PIX: Especialista em crimes cibernéticos dá orientações de segurança digital

Começou nesta segunda-feira (5), o cadastramento de usuários de PIX, sistema de cadastramento do Banco Central, que permitirá transações bancárias 24 horas por dia, em qualquer dia da semana, com transações feitas em até 10 segundos, envolvendo equipamentos celulares.

Pessoas poderão entrar em contato com seus bancos por meio dos aplicativos bancários, para realizar um primeiro cadastramento nos PIX, que substituirá os tradicionais TED e DOC. Tecnologias como NFC e QR code também poderão ser aceitar no PIX para pagamentos até mesmo de transportes públicos.

A partir do dia 16 de novembro, será possível realizar transferências. Embora seja um sistema de inovação, é importante tomar cuidados de segurança. Confira algumas dicas do especialista em Direito Digital e Crimes Cibernéticos, Dr. José Antonio Milagre.

1) Cuidado com o uso do seu dispositivo

A tecnologia NFC não permite que um pagamento seja disparado com o celular no bolso. Mas a aproximação de pelo menos 10cm, ou equipamentos “encostados” pode disparar um processo de pagamento. Criminosos podem substituir terminais de NFC por terminais falsos, e coletar pagamentos indevidos.

2) Cuidados com QRCodes

Muitos fraudadores enviarão “QR CODES” fraudados, assim como os golpes que ocorriam com “código de barras”. Verifique sempre a origem dos códigos.

3) Atualize sempre os aplicativos

Manter aplicativos e dispositivos sempre atualizados é fundamental, pois garante que se está atualizado com todas as atualizações de segurança.

4) Não realizar pagamentos de Internet Pública

Muito cuidado com pagamentos com wi-fi e conexões desconhecidas, pois o fraudador poderá interceptar tráfego e utilizar os dados para novas fraudes e golpes.

5) Reforce suas senhas

É muito importante em tempos em que o celular se torna uma carteira digital, proteger o dispositivo com senhas ou autenticação biométrica. Com a medida, dificulta-se a atuação do fraudador e caso tenha ocorrido fraude, este poderá responder por invasão de dispositivo informático, sem prejuízo de outros crimes praticados. Lembre-se que se o criminoso tem acesso a sua chave criptográfica, poderá fraudar transações.

Caso tenha sido vítima, preserve o equipamento e procure ajuda especializada para perícia digital e apuração da autoria dos fraudadores, imediatamente iniciando um processo junto à instituição bancária.