Destaques, Tecnologia

Procurando um smartphone bom e barato? Dá uma conferida nessa lista!

Adquirir um smartphone novo nem sempre significa ter o mais completo do mercado, não é mesmo? Às vezes você opta por um aparelho mais simples para usar com poucas coisas; às vezes você não quer gastar muito ou nem usa tanto o celular, então, não precisa de grandes configurações. Ou seja, motivo é o que não falta para optar por um aparelho mais barato! É, e se você está querendo comprar um smartphone mais em conta sem exigir muito dele, existem duas opções.

A primeira é procurar por um smartphone que é da categoria de entrada. Esses aparelhos são feitos pela empresa já pensando nisso, sabia? Eles não têm muita memória, a câmera não é a melhor, não têm o processador mais veloz do mercado, mas para quem quer usar para poucas coisas e não quer gastar muito, são a solução ideal.

A segunda opção é procurar por modelos que já são considerados “antigos”. As empresas lançam tantos aparelhos todos os anos que às vezes os celulares que foram lançados há 2 ou 3 anos se tornam antigos e os preços deles sofrem uma queda com a chegada dos novos. Pois é, então vamos dar umas dicas de smartphones mais acessíveis de grandes marcas. Dá só uma olhadinha:

Samsung Galaxy J4

Samsung Galaxy J4

Para quem não conhece, esse é um dos smartphones mais baratos da Samsung. Mesmo por um preço mais acessível, ele tem muito estilo e não é fraco não! Para começar ele tem uma tela que é considerada grande para esse segmento, de 5.5 polegadas e com resolução HD. O processador é quad-core e tem memória RAM de 2GB. Muitos aparelhos de entrada tem memória RAM de 1GB. A câmera é de 13MP na parte de trás e 5MP na parte da frente, o que garante fotos bem legais.

Ah, e o que é melhor é que ele já vem com o Android mais novo, o Oreo 8.0! Preço médio: com 16 GB (R$ 558,90); com 32 GB (R$ 599,00).

LG K10

LG K10

Outra opção para smartphone bom e mais em conta, é o LG K10. Ele tem uma tela um pouco menor que o do Galaxy J4, de 5.3 polegadas, mas em compensação o processador desse aqui é octa-core, ou seja, é mais rápido. Assim como o da Samsung ele tem 2GB de memória RAM e as câmeras são também de 13MP e de 5MP.

Já em relação ao Android, o LG K10 vem com o Android Nougat, o 7.0, então já não é o mais novo. Mas não se preocupe, isso não faz dele pior, ok? O que muda é que você não vai poder ter as novidades que o Google trouxe para o novo Android, mas se o celular vai ser utilizado para tarefas básicas, não faz tanta diferença assim.

Preço médio: com 32 GB (R$ 649,90).

Motorola E5 Play

Motorola E5 Play

Lançado ainda em 2018, esse novo smartphone da Motorola é tudo de bom para quem está procurando um modelo de entrada. Além de ter um preço bem em conta, ele vem com o Android Go, que é uma versão do sistema operacional feita especialmente para smartphones mais simples! Muito legal, não é?

Ele tem tela de 5.3 polegadas, processador quad-core, assim como o Galaxy J4 e memória RAM menor, de 1GB. Mas é exatamente isso que faz com que ele tenha o Android Go, porque aí os aplicativos são adaptados a isso e não pesam no aparelho. Esse é o smartphone mais em conta dessa lista, tá?

A câmera traseira é de 8MP e a frontal é de 5MP e ele também já vem com a versão mais nova do Android, mesmo sendo o Go, que é o Oreo. Preço médio: com 16 GB (R$ 538,97).

Asus Zenfone Live

Asus Zenfone Live

E por fim, vou te mostrar um smartphone bom e barato e que vai ser ótimo se você gosta de conversar por vídeo com os amigos. É o Zenfone Live. Ele tem uma tela de 5 polegadas e um processador quad-core, e assim como alguns da lista, memória RAM de 2GB.

Mas o destaque desse celular aqui é que ele tem uma tecnologia de embelezamento da câmera frontal! Ou seja, durante suas transmissões e vídeos usando essa câmera, ele vai te ajudar a ficar ainda mais bonito (a)! É uma câmera de 5MP, enquanto a traseira é de 13MP.

Só que infelizmente por ser um modelo mais antigo, o Android dele também é o mais antigo da lista, que é o Marshmallow, 6.0
Preço médio: com 16 GB (R$ 599,00).

E aí, procurando por um smartphone mais barato e mais simples? Gostou de algum da lista? Tem alguma sugestão? Me conta aí e não esquece de marcar os amigos que estão nessa busca também 😉

Read More...

Aplicativos

WhatsApp deixará de funcionar nesses aparelhos nos próximos anos

O final de 2018 está se aproximando, e assim como em todos os anos, no mês de dezembro, o WhatsApp deixa de funcionar em alguns celulares antigos. Se você tem um smartphone antigo e gostaria de saber se o seu dispositivo é um dos afetados, preste atenção porque deixamos a lista de telefones onde o WhatsApp não funcionará em breve.

Sem dúvidas, ele é o aplicativo de mensagens instantâneas mais popular e usado em todo o mundo. Atualmente, possui mais de 1,5 bilhão de usuários ativos e é o canal de comunicação preferido de muitas pessoas, que o utilizam diariamente para bater papo, fazer chamadas de voz ou vídeo com seus parentes, amigos e entes queridos.

O aplicativo de mensagens instantâneas chegou ao mercado em 2009. Quase dez anos se passaram e, durante esse período, a plataforma foi atualizada, incorporando novas funções e eliminando recursos obsoletos.

Uso abusivo de WhatsApp pode levar a penalidades como indenização e até prisão

Foto: Pixabay

Levando em conta a evolução que o aplicativo sofreu ao longo dos anos, não surpreende que a empresa tenha decidido parar de oferecer suporte a determinados telefones celulares antigos. A corporação explica que não pode garantir uma experiência de usuário adequada em determinados dispositivos, e é por isso que o aplicativo para de trabalhar neles.

No final de 2016, os primeiros celulares declarados obsoletos pela empresa pararam de usar o aplicativo. Eles eram os seguintes:

  • Dispositivos com Android 2.1 e Android 2.2
  • Dispositivos com o Windows Phone 7
  • iPhone 3GS / dispositivos com iOS 6

Ao longo de 2017, os seguintes smartphones aderiram a esta lista:

  • Telefones com o Nokia Symbian S60
  • Telefones celulares com sistema operacional BlackBerry e BlackBerry 10
  • Celulares com Windows Phone 8.0 e anterior

Abaixo, você pode ver a lista de telefones celulares que não poderão usar o WhatsApp em 2019 e aqueles que não terão mais suporte em 2020:

  • Celulares com o Nokia S40, após 31 de dezembro de 2018
  • Celulares com Android 2. 3.7 e anteriores, a partir de 1º de fevereiro de 2020
  • iPhone com iOS 7, a partir de 1 de fevereiro de 2020

Read More...

Destaques, Games

Videogames: vício em jogos é doença?

Um dado vem chamando a atenção da Organização Mundial de Saúde (OMS), a obsessão por jogos digitais. No Brasil, essa “brincadeira ou diversão” tem colocado especialistas e pais em alerta. A partir de agora, o uso excessivo de videogame é considerado um distúrbio. O vício em games passou a constar na 11ª classificação Internacional de Doenças (CID), como um dos problemas de saúde mental.

A OMS planeja incluir ‘dependência a jogos eletrônicos’ na lista de diagnósticos. A proposta deve ser apresentada em maio do ano que vem para ser aprovada pelos estados-membros. Se forem aceitas, devem entrar em vigor em 2022.

Vale ressaltar que a compulsão por jogos eletrônicos vem sendo classificada como um padrão de comportamento persistente e recorrente. E se torna intensa cada vez mais para quem joga a ponto de afetar o psicológico e fazer do jogo a preferência diante de todos os outros interesses da vida. Em muitos lugares, incluindo o Reino Unido, já existem clínicas autorizadas para tratar de distúrbios como estes, com o intuito de combater o problema e não gerar uma “doença compulsiva”.

Para quem não sabe quando uma pessoa está viciada em jogos, geralmente, é bom ficar atento a alguns sintomas do distúrbios: não ter controle da intensidade e duração do tempo de permanência diante das telas; priorizar o jogo em detrimento de outras atividades; aumentar a frequência de uso do videogame, mesmo depois de ter tido consequências negativas por conta do vício.

O estudante Abrãao Silas, 18 anos, joga há 10 anos e gasta, em média, de 3 a 5 horas por dia diante da tela. “É um mundo inovador e tecnológico, onde exploro sentimentos, nos quais na vida real não são proporcionados. Quando não tenho tempo para jogar durante o dia, eu troco sim o dia pela noite.  Hoje, o meu jogo favorito é o Rainbow Six Siege”, conta o estudante que não se considera um viciado.

O atrativo dos jogos é, como o estudante mencionou, “proporcionar algo diferente” e muitos jovens se veem nesta mesma sensação ao jogar. Mas, como tudo na vida, controle e limite são fundamentais. Que tal, por exemplo, levar para lado positivo e investir em uma formação ligada ao universo dos games? É possível ainda fazer especialização na área.  A brincadeira pode virar negócio. Para quem gosta do mundo dos games vai aí algumas dicas de cursos: Jogos Digitais, Design de Games, Desenvolvimento de Jogos Digitais.

Estude o mundo dos games

O Educa Mais Brasil, programa de bolsas de estudo, pode te ajudar a unir o universo dos jogos aos estudos. É possível conseguir 70% de desconto para cursar uma graduação de Desenvolvimento de Jogos Digitais ou fazer especialização em Jogos Digitais. O PORTAL N10 é parceiro do programa. Para conseguir este benefício é preciso fazer a inscrição gratuita pelo site http://www.educamaisbrasil.com.br/portaln10.

Read More...

Destaques, Tecnologia

Gmail anuncia “Smart Compose” em português

O Smart Compose, recurso do Gmail que sugere palavras enquanto os usuários digitam um e-mail, começará a ser liberado nesta terça-feira, 9, em quatro novos idiomas: português, espanhol, francês e italiano. O recurso utiliza inteligência artificial para fazer recomendações de como continuar a escrever a frase, que podem ser aceitas ou não pelo usuário. A funcionalidade estará disponível para todos os usuários ao longo dos próximos meses.

O recurso foi lançado nos Estados Unidos em julho durante o Google Cloud Next. O Smart Compose utiliza um modelo de machine learning para prever a próxima palavra que a pessoa vai digitar. As sugestões apresentadas baseiam-se em bilhões de frases comuns, que são mostradas para tornar o processo de escrever um e-mail mais eficiente.

Apesar de o Smart Compose não conseguir identificar o estilo de escrita do usuário, a ferramenta aprende continuamente com o contexto das mensagens escritas. O modelo considera mensagens anteriores de uma mesma conversa para fazer sugestões mais precisas.

Gmail anuncia Smart Compose em português

Além dos usuários do Gmail, funcionários de empresas que utilizam G Suite – suíte de aplicativos de produtividade que inclui o Drive, o Gmail e o Docs – também passam a ter acesso ao recurso em português. O Smart Compose ainda não está disponível para dispositivos móveis.

Além de ajudar os usuários a escrever de forma mais ágil os emails, o lançamento dará mais confiança às pessoas no momento de escrever suas mensagens, já que palavras sugeridas seguem as regras gramaticais e de ortografia da Língua Portuguesa. Para tornar este recurso mais rápido, o Google utiliza a tecnologia Cloud TPUs para treinar e veicular o modelo.

Read More...

Destaques, Tecnologia

Programador: conheça o profissional ligado à Tecnologia da Informação

Imagine a seguinte cena: o despertador toca às 6h e às 6h15 você desliga o modo soneca para começar a se arrumar para o trabalho. Minutos depois, o relógio já marca 7h e então você desce de elevador até o térreo ou a garagem. No caminho, se depara com sinaleiras se estiver na pista ou aguarda pacientemente o metrô chegar ao seu destino enquanto acessa o smartphone para checar o Whatsapp, o Instagram ou o Facebook. Já no trabalho, utiliza as digitais para destravar a porta biométrica, bate o ponto eletrônico e liga o computador para dar início a mais uma jornada diária.

O ponto comum entre as situações parece ser apenas a retratação de mais um dia de trabalho para milhares de pessoas, mas a semelhança reside também em outra questão: a importância da programação para o nosso cotidiano. Nesta quinta-feira, 13 de setembro, é comemorado o Dia do Programador, uma homenagem ao profissional que aplica conhecimentos de tecnologia da informação para gerar resultados esperados e facilitar o dia a dia das pessoas.

“A programação é o que você deseja que o computador faça para você. É pegar um conjunto de informações e produzir um resultado esperado. Isso pode acontecer em qualquer plataforma: desde um smartphone até um computador de mesa (desktop)”, destaca Antônio Lázaro Ribeiro dos Santos, de 42 anos, graduado em Matemática e em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Em contato com a área desde os 15 anos, quando fez o curso técnico em Processamento de Dados, o profissional já acumula diversas pós-graduações no currículo: Engenharia de Sistemas, Sistemas de Telecomunicações, além de Análise de Dados com Business Intelligence e Big Data.

A primeira homenagem oficial feita ao programador data de 13 de setembro de 2009, quando o então presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, escolheu o 256º dia do ano para decretar o feriado profissional. Por este motivo, em anos bissextos, o Dia do Programador é comemorado em 12 de setembro. A escolha não foi por acaso: 256 representa a quantidade de valores diferentes que podem ser representados em um byte, uma unidade de informação digital equivalente a oito bits.

Outro ponto curioso: o sistema de hexadecimal, muito utilizado na programação, é formado por 16 algarismos, entre números e letras, os quais permitem ao todo 256 combinações diferentes. Os números hexadecimais são regidos pela lei do sistema posicional: cada dígito tem função própria no sistema e é importante para a realização de cálculos, conversões entre outras funções.

Há aproximadamente dois anos e meio, Antônio Lázaro atua como Analista de Sistemas no Educa Mais Brasil e já integrou equipes de diversos projetos. Atualmente lida com sistemas comercias e promove a integração com centrais telefônicas. Ao analisar a própria trajetória, ressalta que o que mais chama a atenção são as possibilidades de se fazer. “Evoluímos para um estado em que podemos tomar decisões a partir da análise de dados; montamos uma planilha de resultados e fazemos projeções. Isso permite, por exemplo, saber o que será necessário comprar no supermercado no próximo mês ou torna possível criar um software para atender áreas específicas como finanças, saúde, contábil e muitas outras”, sinaliza.

Para transformar informações e alcançar resultados desejados, é utilizada uma (ou mais) linguagem de programação: Java, JavaScript, C#, Python, Delphi, PHP, SQL, Swift, Kotlin e diversas outras. “Existem linguagens que são interpretadas e outras que são compiladas, mas todas chegam ao mesmo lugar. A diferença está na produtividade e na performance, que podem trazer resultados mais rápidos. Hoje, muitas coisas são hospedadas na nuvem e tudo está voltado para a internet”, complementa Antônio.

Softwares: programação, desenvolvimento e engenharia

Entre diversas necessidades existentes no momento de criar e desenvolver softwares ou sistemas, é preciso compor equipes com profissionais habilitados para exercer funções diferentes e complementares na área de computação. Programadores, desenvolvedores, analistas, engenheiros e gestores são apenas alguns dos profissionais presentes nas equipes. Apesar de estarem envolvidos na execução do projeto, qual o papel de cada um?

O programador mantém contato direto com a estruturação do software: é o responsável por escrever o código de forma organizada e entregá-lo em funcionamento. Em geral, possui atuação individual, precisa conhecer ao menos uma linguagem e escolher a forma mais adequada de escrever o código para o perfeito funcionamento do sistema.

O desenvolvedor também pode atuar com programação, mas é responsável por verificar a execução do projeto e interagir com outros membros da equipe, profissionais de setores diversos da empresa, além de clientes e patrocinadores. Conhecer a parte técnica é importante sobretudo para tomar as decisões adequadas quando necessário.

O engenheiro de software pode programar e desenvolver, mas precisa também ser capaz de verificar a qualidade do software, o nível de confiabilidade e a capacidade de ser utilizado de forma sustentável pelo cliente. É necessário também conectar os requisitos do projeto com a codificação e a manutenção do código, o design do sistema e os testes.

Graduações

Em 16 de novembro de 2016, o Ministério da Educação (MEC) instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação na área da Computação por meio da Resolução nº 5 da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (Resolução CNE/CES nº 5/2016). O documento trouxe as principais orientações acerca dos cursos de graduação nas formas de licenciatura em Computação e de bacharelado em Ciência da Computação, em Sistemas de Informação, em Engenharia de Computação e em Engenharia de Software.

Também em 2016, o MEC lançou a terceira edição do Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia, com graduações ligadas ao eixo de Informação e Comunicação. No documento, constam 14 formações tecnológicas ligadas à infraestrutura, aos processos de comunicação além do processamento de dados e informações. Estão inclusas: Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Banco de dados, Defesa Cibernética, Gestão da Tecnologia da Informação, Jogos Digitais, Redes de Computadores e Segurança da Informação.

Read More...