Destaques, Política

Parlamentares do Partido Novo abrem seleção de vagas para bancadas e gabinetes

Cerca de 20 parlamentares, entre vereadores, deputados federais, estaduais e distritais eleitos pelo Partido Novo, em 2016 e 2018, farão a partir desta quarta-feira (05) um processo seletivo aberto a todo país. “A ideia é que haja uma seleção ampla, em escala nacional em busca de profissionais que estejam alinhados com a renovação do quadro político de 2019”, disse Tiago Mitraud, deputado federal eleito pelo partido nestas eleições.

As vagas são para postos como assessor(a) parlamentar, assessor(a) de comunicação e assistente administrativo(a), em pelo menos 5 cidades brasileiras. Os requisitos básicos para preenchimento das vagas incluem: vontade de atuar na área pública, habilidade para alcançar resultados trabalhando em equipe e ser “ficha limpa”.

O recrutamento ocorre a partir deste mês e é 100% de responsabilidade dos parlamentares eleitos. Os selecionados começarão a trabalhar entre fevereiro e março de 2019, dependendo da Câmara ou Assembleia para onde forem contratados.

“Ter um gabinete técnico, sem indicações políticas, é uma das bandeiras do partido. Mas a iniciativa de fazer uma seleção de profissionais de todo Brasil veio dos próprios eleitos” conta Christian Lohbauer, ex-candidato a vice de Amoêdo.

Seguindo a linha do governador de Minas Gerais eleito pela legenda, Romeu Zema, os eleitos para o legislativo apostam na escolha de assessores técnicos para compor suas equipes para os próximos quatro anos. Em 2018 o NOVO elegeu 8 deputados federais, 11 estaduais e uma distrital. Em 2016 foram eleitos 4 vereadores.

Sobre o Partido Novo

O partido foi fundado em 2011 por um grupo de 181 cidadãos comuns, de 35 profissões diferentes, dentre eles João Amoêdo, candidato à Presidência da República em 2018. O Partido tem como princípios ser autofinanciado por seus apoiadores, não utilizar os Fundos Eleitoral e Partidário, manter separadas a gestão partidária das campanhas e dos mandatos dos eleitos. Além disso, a definição de candidatos é feita de forma democrática por meio de processo seletivo entre filiados.

Atualmente o NOVO é mantido por seus mais de 30 mil filiados e apoiadores e é um dos partidos mais seguidos nas redes sociais. A legenda é representada no legislativo por 4 vereadores, eleitos em 2016 e em 2018, superou com facilidade a clausula de barreira, elegendo 8 Deputados Federais, 11 Estaduais e um Distrital. Para o poder Executivo o partido elegeu o Governador do Estado de Minas Gerais, Romeu Zema. Todos eleitos sem nenhum centavo de dinheiro público, nem coligações partidárias.

Read More...

Destaques, Educação

Qual a melhor opção, meio período ou integral?

Falta pouco mais de um mês para o final do ano, época em que a decisão de matricular um filho pequeno na creche ou na escola provoca uma certa angústia nos pais. Em geral, essa escolha, além de mudar a rotina da família, causa conflitos nas famílias que terão que lidar com a ansiedade gerada pela separação e as dúvidas em relação ao desenvolvimento da criança fora do ambiente familiar. Nesse período, um dos maiores questionamento é: deixar o pequeno meio período no colégio e outro em casa com alguém de confiança ou matricular em tempo integral?

A escolha nem sempre é fácil. E quanto menor a criança, maior a dúvida. Entretanto, alguns pais não têm escolha e precisam colocar os filhos em período integral logo cedo. Afinal, trabalham o dia todo e não possuem condições de arcar com o salário de uma babá. Outros até possuem a flexibilidade de horário, contam com a ajuda de alguém da família, porém ainda têm dúvidas sobre qual a melhor opção.

A estudante de Medicina Veterinária Ohana Cabral, de 26 anos, nunca teve dúvida entre os dois modelos de ensino. Ela sempre priorizou a escola em meio período e não abre mão que sua filhinha Helena, de 4 anos, também tenha tempo com a família. “Hoje, eu conto com o apoio da minha mãe e acho essencial esse contato no começo da construção de caráter da minha filha”. Ohana deu preferência a uma escola na qual ela já tinha estudando na sua infância. “A escola é perto de minha casa, já estudei lá e conheço todos os funcionários da instituição. Sinto-me muito segura”, pontuou.

A publicitária Mariana Calazans precisou optar pela escola em período integral, mas não se arrepende da escolha. Mãe de Maria Clara, de 1 ano, ela não pode contar com o apoio da família e foi isso que pesou na sua decisão. “Entre ter uma babá e colocar ela no berçário, optei pela segunda opção. Eu não me sentiria segura em saber que minha filha estaria sozinha com alguém que não conheço direito”. Hoje, Mariana colhe todos os pontos positivos dessa escolha. “Sinto o desenvolvimento da minha filha. Não colocaria ela em outro lugar”, assegurou.

Vantagens e desvantagens

Para muitos educadores a escola em meio período proporciona menos estresse na criança se comparado ao período integral. Desse forma, também sobra mais tempo para elas se envolverem em outras atividades que proporcionam descanso e lazer, além de permanecer mais tempo com pais, familiares e amigos. O lado negativo é que esse modelo não permite que as crianças se envolvam em outros programas escolares, já que muitas escolas trabalham com recreação.

Já o período integral proporciona um dia escolar com mais descontração. Com isso, é possível ter uma maior variedade de experiências e, consequentemente, a longo prazo, obter melhores resultados. A criança irá desfrutar de diferentes aulas e cursos que irão agregar no futuro. Porém, dependendo do programa educacional e da escola escolhida, o período integral é mais caro – mais isso não é uma regra.

Como escolher?

Seja qual for a sua escolha, esse período de adaptação escolar é sempre complicado. Uma dica importante antes de decidir a escola e o modelo de ensino é ir conhecer pessoalmente a instituição. Observe todos os detalhes da sala de aula, áreas de lazer e outros ambientes. Ficando o dia todo na escola, ou não, as crianças precisam de um local acolhedor, com pessoas responsáveis e qualificadas.

E você ainda pode contar com super desconto na mensalidade caso a escola escolhida seja parceira do Educa Mais Brasil. O programa educacional oferece bolsas de estudo de até 50% para a educação básica. E não precisa se preocupar, é possível encontrar desconto para os dois modelos de ensino. Se interessou? Não perca tempo. Acesse o site do Educa Mais Brasil e encontre uma escola pertinho de você. A inscrição é gratuita.

Read More...

Educação

Qual a diferença do diploma tradicional para o de tecnólogo?

Os cursos de bacharelado ou tecnólogo têm em comum o fato de serem graduações de nível superior e podem ser oferecidos por universidades públicas e privadas.  E assim, interessados em ser um graduando em uma das duas modalidades se faz necessário ter concluído o ensino médio e submeter-se ao processo seletivo da instituição pretendida.

Atualmente, o ingresso pode ser feito pelo vestibular tradicional ou pelo desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que permite que alunos tenham acesso ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e também ao Programa Universidade para Todos (ProUni). Além disso, muitos estudantes vêm recorrendo ao programa de bolsas de estudo Educa Mais Brasil, que oferece descontos na mensalidade de até 70% em cursos de graduação.

Mesmo havendo semelhanças entre os cursos de bacharelado e tecnológico é bom lembrar que essas graduações são bem diferentes. É muito importante conhece-las para, então, escolher qual é a melhor opção para sua carreira, de acordo com a necessidade específica.

Diferenças entre graduações: tecnólogo ou bacharelado?

Tanto o curso superior tecnológico como bacharelado são diplomas de nível superior. Os cursos estão disponíveis em universidades públicas e privadas e ambas precisam ser reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) para que o diploma tenha validade. Conheça as principais diferenças entre essas graduações.

Diploma:

– O curso de bacharelado confere o grau de bacharel, que se torna obrigatório para quem, necessariamente, vai exercer a profissão, como por exemplo médicos e advogados. Já o curso superior de tecnologia confere o grau para tecnólogo, que é uma formação especializada em áreas científicas e tecnológicas que visa atender as demandas dos setores produtivos.

Duração:

– Há diferença na duração de ambos os cursos. O curso em bacharelado pode durar entre 3 a 6 anos. Já o curso de tecnólogo pode durar entre 2 a 3 anos. Ou seja, é preciso ficar atento a esses fatores. Pessoas que preferem entrar mais rápido no mercado de trabalho tendem a optar por graduação tecnológica.

Curso:

O curso de bacharelado é uma formação mais generalista, enquanto o de tecnólogo tem disciplinas mais práticas e direcionadas às necessidades do mercado de trabalho.

Bolsas de estudo para Cursos de Tecnólogo e Bacharelado

Tem interesse em ter nível superior? Você pode contar com apoio de bolsas de estudo, que concedem descontos nas mensalidades de até 70%, tanto para uma graduação Tecnológica ou em bacharelado. O Educa Mais Brasil, maior programa de inclusão educacional do país, está com 700 mil bolsas disponíveis. Acesse aqui e verifique as oportunidades em sua cidade.

Read More...

Destaques, Educação

Bolsas e auxílios podem servir como suporte financeiro para estudantes que vivem longe de casa

Para boa parte dos brasileiros, não basta apenas ter um bom resultado no vestibular e ingressar no ensino superior. Também é preciso, na maioria das vezes, lidar com a falta de recursos para se manter durante a graduação. E não é tarefa fácil arcar com todos os gastos de alimentação, transporte e moradia. Pensando nisso, existem diversas ações para auxiliar na convivência acadêmica, assegurar os direitos humanos e oferecer melhor qualidade de vida aos alunos durante seu período de estudo.

Caso o estudante opte por uma universidade em sua cidade de origem, tudo se torna mais fácil. Mas caso isso não aconteça, o jeito é ir morar longe da família. E, com isso, o valor do aluguel é uma das despesas fixas que mais pesa no bolso. É por esse motivo, que quase todas as instituições públicas oferecem auxílio aluguel ou moradia estudantil para quem tem dificuldade financeira. Outras universidades, além dos auxílios tradicionais, também oferecem benefícios que ajudam os universitários a cuidar da saúde e do bem-estar.

O estudante de Fisioterapia Matheus Alves, de 22 anos, é um dos milhares de outros estudantes brasileiros que precisou sair da cidade em que morava para estudar na capital. Hoje, Matheus mora em uma residência universitária e confessa que esse auxilio fez toda diferença na sua rotina. “Antes de morar nessa residência meu gastos eram bem maiores”, assegurou.

Segundo ele, para se manter nessa república, só é necessário contribuir com R$40 todo mês, seguir algumas regras de convivência e apresentar um comprovante de matrícula. “Dentro da casa é tudo muito tranquilo. Cada um é responsável pela limpeza e por sua alimentação. É um ambiente de bastante respeito e que ajuda muito a nos mantermos durante nossa graduação”, conclui.

Outra iniciativa que oferece suporte aos universitários são as bolsas de estudo. Com 15 anos de atuação, o Educa mais Brasil já beneficiou mais de 900 mil pessoas, proporcionando uma educação de qualidade para estudantes que não possuem condições financeiras para arcar com 100% do valor da mensalidade. Somente para 2019, o programa Educa Mais Brasil está ofertando mais de 700 mil bolsas de estudo, em mais de 25 mil instituições de ensino parceiras.

Naiara Nascimento, de 23 anos, é estudante de Enfermagem e foi contemplada com 60% de desconto na sua graduação, pelo Educa Mais Brasil. Diferente de Matheus, ela não tem residência fixa na capital e precisa ir e voltar todos os dias para a cidade onde mora. A estudante também não queria se tornar refém de um financiamento e se sente muito feliz por ter conseguido esse desconto. “Sem o Educa Mais Brasil, não sei se conseguiria iniciar logo a minha graduação. Além disso, com essa bolsa, eu consigo economizar e guardar dinheiro para meu transporte de casa até a faculdade”, contou.

Universidades Federais, Estaduais e Particulares contam com diferentes tipos de suporte. Por isso, antes de decidir onde vai iniciar os seus estudos, é importante conhecer as bolsas e auxílios que podem te dar uma ajuda.

Estaduais

As universidades públicas estaduais contam com programas já operantes de permanência estudantil. Na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, a permanência é distribuída em uma série de auxílios: moradia estudantil, auxílio aluguel, restaurante universitário, subsídio para alimentação, auxílio transporte, bolsa de apoio acadêmico e extensão, auxílio estágio e auxílio emergencial. Com base em critérios socioeconômicos, o aluno participa de uma seleção que o torna apto a receber um ou mais auxílios.

Federais

As universidades públicas federais também oferecem apoio aos estudantes economicamente vulneráveis. E o Programa Nacional de Assistência Estudantil – PNAES é um exemplo de iniciativa.  Ofertada pelo MEC, a ação oferece assistência à moradia estudantil, alimentação, transporte, à saúde, inclusão digital, cultura, esporte, creche e apoio pedagógico.

Nas particulares

Programas do MEC como o Fies e o ProUni são importantes elementos da permanência estudantil em faculdades pagas.Com o Fies, o aluno consegue financiar o valor de seus estudos, obtendo melhores condições para o pagamento de sua graduação. Já o ProUni funciona com bolsas que reduzem o valor das mensalidades – incluindo bolsas integrais – nas quais o estudante não paga pelos estudos. Ambos são aplicados com base na nota do Enem. Além dos programas de governo, há também as bolsas ofertadas pro programas particulares de inclusão educacional, como o Educa Mais Brasil. A inscrição é gratuita e você pode conhecer as opções mais perto da sua cidade acessando aqui.

Read More...

Destaques, Educação

Exame de proficiência é o primeiro passo para uma vida no exterior

Se candidatar a uma vaga de graduação no exterior, fazer uma prova de mestrado ou doutorado e até buscar emprego em uma multinacional exige muito mais do que o inglês que aprendemos durante a nossa vida escolar. Nesses casos, é preciso provar que conhecemos de verdade um outro idioma. Para isso, existem inúmeras certificações que atestam que o candidato possui um bom nível de inglês, são os testes de proficiência.

São diversas opções de certificações, cada uma com um objetivo e benefício diferente. Por isso, antes de tudo, é necessário pesquisar bem quais certificados a universidade que você deseja ingressar pede a seus candidatos, para depois, escolher qual dos testes de proficiência você deve fazer. A pontuação mínima necessária também depende da instituição e do país para o qual está buscando uma colocação.

Você pode até ser um autodidata e saber muito sobre as regras da língua inglesa, mas caso esteja com sua compreensão na parte de leitura baixa, isso pode atrapalhar. Os testes de proficiência exigem um nível satisfatório em todas as quatros habilidades da língua: escrita, leitura, fala e audição. Se você não quiser ser pego de surpresa, alguns sites oferecem um teste para conhecer o seu nível. Confira:

  1. Cambridge English Language Center

Cambridge English é uma referência quando inquestionável quando se fala em inglês. Suas provas são aceitas em mais de 20 mil universidades, empresas e governos do mundo todo. O teste on-line é breve e grátis, traz 25 perguntas de múltipla escolha, não há limite de tempo e você pode comprovar as suas respostas no final do teste.

  1. Education First (EF)

EF oferece cursos há mais de 50 anos. Ele possui duas provas on-line gratuitas, que constam de 25 minutos de avaliação de leitura e 25 minutos de compreensão auditiva.

  1. Learn English – British Council

Esse teste possui 25 perguntas e você deve indicar o seu nível de certeza em cada resposta dada. O diferencial desse teste é que você pode escolher o conteúdo que preferir, de acordo com o nível dos seus conhecimentos prévios.

  1. Cultura Inglesa

Escola presente no Brasil há 80 anos. O teste da Cultura Inglesa é bem completo. Oferece aproximadamente 10 questões de múltipla escolha e algumas incluem áudios e especifica o nível da pergunta.

Se você não sabe nada de inglês está na hora de se mexer. Que tal começar um curso e investir tempo para aprender um novo idioma? O Educa Mais Brasil pode te ajudar nesse próximo passo. O programa oferece bolsas de estudo para várias modalidade de ensino – educação básica, graduação, pós e também cursos de idioma. Não perca tempo! Acesse o site do Educa Mais Brasil e confira todas as opções disponíveis na sua região.

Read More...