Destaques, Educação

Saiba quanto custa em média a graduação em Direito, Medicina e Administração

Um dos processos seletivos mais aguardados do próximo ano pelos pré-vestibulandos brasileiros é Sistema de Seleção Unificada (SiSU 2019), que ainda não teve calendário definido pelo Ministério da Educação (MEC). Se a tendência das últimas edições for confirmada, os cursos de Administração, Direito e Medicina estarão novamente entre os mais procurados. Nos vestibulares tradicionais, as graduações citadas também tendem a registrar a concorrência mais acirrada em relação às demais. Por isso, é importante saber quanto custa a mensalidade e preparar o orçamento para não perder as contas e ficar com a “corda no pescoço” quando chegar o final do mês. Confira:

Universidades Públicas

Para fazer as graduações em universidades públicas, o estudante aprovado no SiSU ou no vestibular tradicional não tem gasto com mensalidade devido à gratuidade do ensino. É preciso, no entanto, arcar com a aquisição de livros, apostilas e materiais complementares para uso próprio. Atualmente, parte das vagas das instituições públicas de ensino são reservadas para o ingresso por meio do SiSU, que exige nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O tradicional vestibular ainda é aplicado como forma de seleção. Em algumas instituições são adotados processos seletivos de avaliação seriada em que o estudante é submetido a três avaliações anuais, ao final de cada série do ensino médio, e, ao final do terceiro ano, a nota total é calculada com base em todas as pontuações.

Quanto custa a mensalidade dos cursos mais procurados

O estudante nem sempre têm acesso às vagas das universidades públicas, por não ter sido aprovado; aos programas de Governo, por não estar enquadrado nos limites de renda pré-definidos; ou opta por não contratar as bolsas de estudo (caso deseje cursar de Medicina, por exemplo).

Administração

O valor cobrado mais frequentemente em uma faculdade de Administração está entre R$ 500 e R$ 1 mil por mês. Entretanto, existem cursos acessíveis a R$ 200 reais, na modalidade Educação a Distância (EAD), ou mais caros, acima de R$ 3 mil, a depender da instituição de ensino.

Em geral, o curso dura quatro anos na modalidade presencial e habilita o administrador a realizar a gestão dos negócios. Durante a graduação, são estudadas disciplinas de contabilidade, finanças, marketing, recursos humanos, economia e gestão pública, entre outras.

O salário do administrador varia de acordo com o porte da empresa e o cargo exercido. Um administrador trainee pode ganhar entre R$ 2.334,04 (PMEs) e R$ 3.944,53 (empresa grande); um administrador master chega a ganhar de R$ 5.698,35 (PMEs) e R$ 9.630,20 (grande porte).

Direito

Um dos cursos com o maior número de faculdades credenciadas para ofertar a graduação é o de Direito. Consequentemente, há uma grande oscilação no preço da mensalidade: a partir de R$ 350 a mais de R$ 4 mil. Diante da obrigatoriedade de ser credenciada ao MEC, uma das sugestões é buscar as avaliações da instituição e as notas atribuídas aos respectivos cursos.

O curso dura aproximadamente cinco anos e, ao final, o estudante torna-se um bacharel em Direito. Existem diversas profissões que podem ser seguidas: advogado, após ser aprovado na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil); juiz, responsável por julgar causas de interesses particulares ou, caso siga carreira no setor público, em entidades da Administração Pública;

Medicina

A faculdade de Medicina requer altos investimentos, que podem ser de R$ 3,2 mil a mais R$ 9 mil por mês, a depender de critérios como: localização, renome da instituição e concorrência das vagas. Os valores fixados com mais frequência, no entanto, variam de R$ 4,5 mil e R$ 5,5 mil de mensalidade.

O alto custo não é por acaso, especialmente se a faculdade disponibilizar atendimentos gratuitos por meio de hospital-escola. São laboratórios próprios para estudar cada especialidade médica, materiais apropriados para consultas e procedimentos, bibliotecas com títulos de alto custo. E, além dos instrumentos coletivos, é preciso investir nos próprios materiais.

Para se tornar médico, o estudante precisa cursar a graduação durante seis anos, em média, e fazer a residência médica para se especializar. Segundo o Sistema Nacional de Empregos (SINE), o salário do médico trainee varia de R$ 5.322,31 (PMEs) a R$ 8.994,70 (grande empresa), mas o de especialistas de nível hierárquico máster pode variar de R$ 12.993,93 (PMEs) a R$ 21.959,73 (grandes empresas).

Bolsa de estudo

Para os estudantes que não são aprovados no processo seletivo há alternativas de buscar programas do Governo Federal de acesso ao ensino superior, a exemplo do Programa Universidade para Todos (ProUni) e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Apesar de não serem iniciativa do Governo, existem também programas educacionais que ofertam bolsa de estudo e abatem o valor da mensalidade em até 70%. “Eu conheci o Educa Mais Brasil pesquisando sobre os custos do ensino superior na internet. Tive muita facilidade para contratar, enquanto programas como o Fies eram muito burocráticos”, destaca a futura profissional de Direito, Carla Ibele da Conceição de Carvalho Valeijo.

Beatriz Pereira Amaral também fez consultas na internet, mas o objetivo era saber qual o valor integral do curso e quanto seria necessário investir por mês para ter a graduação. “Eu pesquisei o valor da mensalidade mas, se não fosse pela bolsa, não conseguiria cursar a faculdade. Geralmente, o valor é muito alto”, sinaliza a estudante, que também estuda Direito e está no quarto período.

Considerado o maior programa de inclusão educacional do país, o Educa Mais dispõe de quase 400 mil bolsas para o ensino superior no território nacional. A contratação é feita diretamente no site. Com a redução do valor gasto na faculdade, é possível organizar melhor o orçamento da família e investir em outros pontos que também são fundamentais. “O que seria pago por mês, está sendo investido em outra coisa”, destaca.

Read More...

Destaques, Dicas de Saúde

Hilab: Exames rápidos com laudos agora na rede Pague Menos

A Hi Technologies, empresa que desenvolve soluções tecnológicas para o setor de saúde, anuncia parceria com a rede de farmácias Pague Menos. O serviço Hilab utiliza um dispositivo inovador que cabe na palma da mão e permite obter resultados de exames mais rapidamente do que os métodos tradicionais, está disponível em unidades espalhadas por seis cidades brasileiras. O serviço visa oferecer uma nova experiência para os consumidores, agilizando o diagnóstico de exames laboratoriais e, consequentemente, do tratamento adequado.

Exames de: perfil Lipídico, TSH e Beta HCG com resultados em poucos minutos estão disponíveis em 12 unidades da rede Pague Menos distribuídas por Brasília, Campo Grande, Fortaleza, Mossoró, Natal e Piracicaba. Agora, clientes Pague Menos dessas cidades, poderão monitorar seus níveis de colesterol e triglicerídeos com mais praticidade e conforto e as mulheres em busca do teste de gravidez poderão ter resultado com laudo pronto para levar ao médico, já que o exame BETA hGC Hilab é realizado no sangue ao invés da urina como nos testes convencionais de farmácia. De forma quase indolor, o serviço Hilab associa a internet das coisas e inteligência artificial para acelerar a entrega de resultados laboratoriais.

Com apenas algumas gotas de sangue do dedo, é possível realizar exames como: TSH, exame que detecta o hipotiroidismo, Beta-hCG, utilizado para detecção de gravidez, e o de Perfil Lipídico, um grupo de exames de colesterol e suas frações pedidos frequentemente em conjunto (LDL, HDL, VLDL, não HDL, triglicerídeos) para avaliar o risco de doenças cardíacas.

Para o CEO da Hi Technologies, Marcus Figueredo, o momento é de comemorar. “Estamos felizes com a parceria. Ela permite a chegada de laboratórios remotos em regiões ainda carentes de tecnologias que oferecem serviços de qualidade a preços acessíveis”, comenta. Segundo Marcus, o apoio das farmácias confirma uma necessidade real da população de poder fazer o monitoramento e acompanhamento dos tratamentos médicos com mais agilidade e comodidade.

A VP comercial da Pague Menos, Patriciana Rodrigues destaca “essa sinergia com a Hi Technologies permitiu a ampliação dos serviços farmacêuticos realizados por nossos farmacêuticos nas salas do Clinic Farma. A partir da tecnologia da empresa, conseguiremos proporcionar mais facilidade e mais cuidado com a saúde dos nossos clientes em todo Brasil”.

Como funciona?

O sangue é coletado, inserido no dispositivo onde o resultado é “digitalizado” e transmitido instantaneamente via internet para a equipe de biomédicos da Hi Technologies, que realizam a análise e validação do material – processo dura de 5 a 10 minutos. Em seguida, o laudo com o resultado é enviado ao e-mail do paciente, mas também pode ser impresso na própria farmácia ou encontrado no site do Hilab.

A opção é uma solução também para os pacientes que têm medo de seringa, pois o sangue é coletado da ponta do dedo, fazendo com que o processo seja menos invasivo. Outra facilidade é que o paciente não precisa estar em jejum ou apresentar guia médica. Basta realizar um cadastro online, para que o paciente seja reconhecido pelo sistema e aceite os termos de uso do laboratório remoto.

SERVIÇO – RIO GRANDE DO NORTE

Mossoró – RN

Mossoró Av. Santos Dumont, 278

Natal – RN

Candelaria Av. Prudente de Morais, 6368

Read More...

Destaques, Notícias

Carreira de estatístico tem alto potencial de crescimento

Filtrar, organizar e interpretar algumas das milhares de informações que surgem a cada segundo na internet é uma das funções do Estatístico, carreira com alto potencial de crescimento no Brasil. De acordo com um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), essa é a segunda profissão mais bem pagado país, perdendo apenas para medicina. A remuneração inicial pode chegar a R$5 mil e chegar a R$30 mil.

Engana-se quem pensa que essa profissão surgiu recentemente. Regulamentada desde 1968, hoje, conta com o Conselho Federal de Estatística (CONFE), além de sete conselhos regionais (CONRE). Entretanto, nos últimos anos, empresas têm enxergado nesses profissionais a solução para reduzir custos com logística, analisar o comportamento dos consumidores, calcular preços e trabalhar com big data.

Segundo o CONRE-3, os consultores dessa área chegam a cobrar 400 reais por hora e os estagiários podem receber bolsa de até R$2.500. De acordo com CONFE, os salários em regime de contrato CLT – 40 horas semanais – de acordo com o grau de qualificação do profissional são: Bacharel (3.528,73), Especialista (4.538,74), Mestre (5.994,10) e Doutor (7.104,12).

Um estudo do site CareerCast apontou a carreira como a melhor de 2017 nos Estados Unidos. Segundo o levantamento, a ocupação registra altos níveis de satisfação em quesitos como renda, estresse, ambiente de trabalho e perspectivas de ascensão. No mercado de trabalho norte-americano, a perspectiva é que a empregabilidade dos estatísticos cresça 34% nos próximos sete anos.

Toda essa ascensão desfaz a impressão de que lugar de estatístico é somente em entidades de pesquisa como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E, realmente, a maior procura por esses profissionais parte de bancos e financeiras. Embora o cenário seja animador, a tarefa é para poucos. É fundamental que o estatístico tenha aptidão para matemática e facilidade em manusear programas de computador e simuladores.

O curso de Estatística dura quatro anos e as disciplinas básicas são matemática e cálculos. Dentre as específicas, destacam-se análise estatística e tecnologia da amostragem. A grande vantagem da área também é a flexibilidade de poder atuar em diferentes setores mas, por outro lado, a qualificação e reciclagem devem ser contínuas para que o profissional possa aproveitar as oportunidades que estão surgindo.

Se você se interessou pela área, não pense que esse é um sonho impossível. Com a ajuda do Educa Mais Brasil, você pode encontrar uma faculdade bem perto de você que ofereça o curso e ainda conseguir uma bolsa de estudo de até 70%. Acesse o site do Educa Mais Brasil, confira todas as oportunidades disponíveis na sua região e inicie 2019 em uma nova graduação. A inscrição é gratuita.

Read More...

Destaques, Games

Videogames: vício em jogos é doença?

Um dado vem chamando a atenção da Organização Mundial de Saúde (OMS), a obsessão por jogos digitais. No Brasil, essa “brincadeira ou diversão” tem colocado especialistas e pais em alerta. A partir de agora, o uso excessivo de videogame é considerado um distúrbio. O vício em games passou a constar na 11ª classificação Internacional de Doenças (CID), como um dos problemas de saúde mental.

A OMS planeja incluir ‘dependência a jogos eletrônicos’ na lista de diagnósticos. A proposta deve ser apresentada em maio do ano que vem para ser aprovada pelos estados-membros. Se forem aceitas, devem entrar em vigor em 2022.

Vale ressaltar que a compulsão por jogos eletrônicos vem sendo classificada como um padrão de comportamento persistente e recorrente. E se torna intensa cada vez mais para quem joga a ponto de afetar o psicológico e fazer do jogo a preferência diante de todos os outros interesses da vida. Em muitos lugares, incluindo o Reino Unido, já existem clínicas autorizadas para tratar de distúrbios como estes, com o intuito de combater o problema e não gerar uma “doença compulsiva”.

Para quem não sabe quando uma pessoa está viciada em jogos, geralmente, é bom ficar atento a alguns sintomas do distúrbios: não ter controle da intensidade e duração do tempo de permanência diante das telas; priorizar o jogo em detrimento de outras atividades; aumentar a frequência de uso do videogame, mesmo depois de ter tido consequências negativas por conta do vício.

O estudante Abrãao Silas, 18 anos, joga há 10 anos e gasta, em média, de 3 a 5 horas por dia diante da tela. “É um mundo inovador e tecnológico, onde exploro sentimentos, nos quais na vida real não são proporcionados. Quando não tenho tempo para jogar durante o dia, eu troco sim o dia pela noite.  Hoje, o meu jogo favorito é o Rainbow Six Siege”, conta o estudante que não se considera um viciado.

O atrativo dos jogos é, como o estudante mencionou, “proporcionar algo diferente” e muitos jovens se veem nesta mesma sensação ao jogar. Mas, como tudo na vida, controle e limite são fundamentais. Que tal, por exemplo, levar para lado positivo e investir em uma formação ligada ao universo dos games? É possível ainda fazer especialização na área.  A brincadeira pode virar negócio. Para quem gosta do mundo dos games vai aí algumas dicas de cursos: Jogos Digitais, Design de Games, Desenvolvimento de Jogos Digitais.

Estude o mundo dos games

O Educa Mais Brasil, programa de bolsas de estudo, pode te ajudar a unir o universo dos jogos aos estudos. É possível conseguir 70% de desconto para cursar uma graduação de Desenvolvimento de Jogos Digitais ou fazer especialização em Jogos Digitais. O PORTAL N10 é parceiro do programa. Para conseguir este benefício é preciso fazer a inscrição gratuita pelo site http://www.educamaisbrasil.com.br/portaln10.

Read More...

Destaques, Educação

Nota do Enem pode ser usada para ingresso em faculdades no exterior

Considerado o maior exame educacional do país e uma das principais formas de acesso ao ensino superior no Brasil, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) também é aceito em algumas instituições de ensino no exterior. E, embora o Ministério da Educação só tenha convênio oficial com Portugal, universidades de outros países, como França, Irlanda, Reino Unido e Canadá, também utilizam as notas do Enem em seus processos seletivos.

Foi depois de uma alteração na legislação portuguesa, que permitiu que as universidades criassem processos seletivos para estrangeiros, que a Universidade de Coimbra, em 2014, se tornou a primeira instituição de fora do país a utilizar o exame como forma de seleção para brasileiros. Desde então, várias instituições firmaram acordo com o Inep a fim de aproveitar os resultados do Enem para ingresso de brasileiros em suas graduações. Hoje, o exame é critério de seleção em 31 instituições portuguesas.

Para conseguir uma vaga em uma universidade portuguesa de ponta, as notas exigidas são consideradas baixas se comparadas com as do Brasil. Aqui, por exemplo, para cursar Direito, é preciso, pelo menos, uma média de 700. Para Portugal, a média mínima exigida é de 600 pontos.

O que é necessário para se estudar lá fora com a nota do Enem?

Para quem pretende se candidatar a uma vaga no ensino superior no exterior, a primeira dica é estar informado sobre os prazos e a documentação exigida, pois costuma ser diferente da existente no Brasil. Algumas universidades solicitam documentos extras, como carta de recomendação, redações e exame de proficiência em inglês. Outra dúvida que surge é como funciona caso o estudante brasileiro tenho dupla cidadania. E a verdade é que isso pode atrapalhar. Nesses casos, o aluno deixa de ser tratado como estrangeiro, podendo haver uma exigência por notas mais altas.

Enem 2018

Só faltam 6 dias para o Enem ser aplicado em todo o país. Mesmo que você não consiga a pontuação suficiente para ingressar em uma universidade pública ou estudar em uma instituição no exterior, muitas alternativas existem aqui no Brasil. Uma delas é o Educa Mais Brasil, programa educacional que oferta bolsas de estudo para várias modalidade de ensino. Se interessou? Acesse o site do Educa Mais Brasil e confira todas as oportunidades disponíveis na sua região. Você pode conseguir uma bolsa de estudo de até 70%.

Read More...