CarrosColunasWagner Santos

Mercado automotivo pós-pandemia: conheça as previsões

Ninguém sabe ainda como será o mercado automotivo pós-pandemia, mas parece óbvio que todo mundo não vê a hora de poder enxergá-lo. Afinal de contas, poucos foram os setores que sofreram tanto com a pandemia do novo corona vírus como o segmento de carros novos. É claro que não dá para comparar as perdas financeiras com as perdas de vidas, mas o segmento automotivo realmente sofreu muito.

Além das quedas de 75% e 76% de faturamento entre abril e maio de 2020, os dois meses em que a pandemia realmente fez o maior estrago, o segmento acabou fechando 2020 com uma queda de 26% de todas as suas vendas no ano. Além disso, em 2021, além de várias fábricas fechadas ou com funcionamento suspenso, o mercado viu a Ford ir embora, o que pode abrir a porta para outras marcas também irem.

Com todo esse cenário sombrio, o que esperar do mercado automotivo pós-pandemia? Vejamos a seguir!
5 coisas a esperar do mercado automotivo pós-pandemia

Mais dados

O segmento automotivo foi um que ficou relativamente distante da onda do Big Data, que varreu o mundo nos últimos anos, com uma força transformadora para usar toneladas de dados para obter insights, identificar padrões e realizar processos de grande porte.

Apesar disso, é possível que vejamos tecnologias usando dados em maior escala no mercado pós-pandemia. A começar pela telemetria veicular, uma tecnologia que mais para a escala produtiva do mercado e não para o contato direto com o consumidor. Isso dará um controle maior das peças usadas nos automóveis, garantindo maior qualidade e menos perdas financeiras das empresas.

Isso também abrirá espaço para o uso de desenvolvimento de Machine Learning para os carros autônomos. Ainda não teremos esses veículos nas ruas tão logo, mas eles definitivamente chegarão em breve, com desenvolvimento acelerado. A razão é simples: as pessoas querem evitar o transporte público (muita chance de contaminação) e querem Ubers mais seguros, sem motoristas.

Mais sustentabilidade

A preocupação com a sustentabilidade, tanto no uso dos automóveis, quanto em sua produção, é um dos focos do segmento pós-pandemia. Isso acontece porque muitas empresas não conseguiram lançar suas novas gerações e redesenho de automóveis à combustão. Agora, todos estão meio que “pulando uma marcha”, o que faz com que a solução óbvia seja pular de cabeça nos carros elétricos, pressionando os governos para investimentos de massa em infraestrutura para dar base para esses veículos.

Recuperação do mercado em 2023

O mercado automotivo vinha em crescimento de 9% em 2019. Nada mal. No entanto, a pandemia jogou uma bomba no setor em 2020 com queda de 26%. Em 2021, a previsão não é de queda em relação a 2020, mas também não é de recuperação. O setor simplesmente não está tão animado assim.

Há muito que explica isso, desde a presença da pandemia ainda até a redução de renda do brasileiro, aumento da Selic e outros fatores. Por isso, a perspectiva é que, caso o Brasil realmente vacine 75% da população até o fim de 2021, o ano de 2022 seja de início de recuperação e somente em 2023 que veremos o mercado “normal” de novo, por assim dizer.

Vai levar pelo menos um ano para o retorno de empresas e fábricas, reaberturas de concessionárias e todo o movimento padrão que tínhamos antes.

Mais compras online

Uma tendência que veio para ficar é a digitalização das compras de carros e acessórios. O segmento automotivo sempre resistiu muito ao e-commerce, já que sempre foi um setor de tato. Era preciso tocar no carro para escolhê-lo, por exemplo.

No entanto, agora nem mesmo o segmento automotivo consegue escapar do crescimento dos e-commerces.

Concessionárias já montam showrooms e modelos de vendas digitais, fazendo com que o mercado comece a migrar para lá. Ainda é um movimento muito discreto, mas que deverá atingir com força nos próximos anos.

Novos modelos de transporte

A pandemia do novo coronavírus trouxe muitas mudanças para a nossa sociedade. Por exemplo, muitos de nós estamos trabalhando em home office. Agora compramos mais digitalmente e por aí vai.

Em relação a mobilidade e transporte, também mudamos. Um medo é pegar transporte público, por exemplo, Ainda que a pandemia passe, será preciso gerar novos modelos de transporte para que a sociedade se recupere.

Por exemplo, muitas pessoas querem carros para não ter de pegar ônibus, mas o preço é muito alto para comprar. Modelos de assinatura começam a surgir para suprir essa demanda. Outros modelos de transporte também devem aparecer para lidar com contextos específicos.

Isso deve, inclusive, favorecer marcas mais prestigiosas. Afinal, modelos por assinatura permitem aos consumidores pegar carros mais caros do que poderiam em outras ocasiões.

Pronto! Agora você já sabe algumas coisas do que esperar do mercado automotivo pós-pandemia, incluindo uma previsão mais ou menos confiável do tempo de retorno das atividades e o que os empreendedores da área podem prever para os primeiros meses depois da crise. Ainda levará um tempo para o segmento se recuperar, mas ele vinha bem em 2019 e provavelmente verá bons mares no futuro.

E aí, quais são as suas previsões para o futuro do mercado automotivo? Comente abaixo!

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Wagner Santos

Meu nome e Wagner Santos CEO da Revista de Marketing e profissional de SEO | Linkbuilder e escrevo sobre dicas para melhorar e alavancar sites na internet.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo