Volta às aulas check list inclui visita ao oftalmologista

Nesta época que antecede a volta às aulas, os pais têm muito com o que se preocupar para que seus filhos tenham um ano escolar bem-sucedido. A consulta ao oftalmologista faz parte do check list. Tanto que, de acordo com o médico Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, o volume de pacientes com menos de 17 anos aumenta entre 20% e 30% na segunda quinzena de janeiro. “A maior parte do aprendizado de uma pessoa se dá na infância. Por isso é tão importante oferecer as melhores condições possíveis e cuidar bem da visão”.

Apesar de algumas escolas públicas contarem com determinados programas de check up anual da visão, Neves explica que o exame realizado em ambiente clínico é mais meticuloso, amparado por toda tecnologia necessária para exames complementares. Isso garante não apenas a prescrição de óculos de grau para quem tem miopia, hipermetropia ou astigmatismo, mas uma série de outras possibilidades terapêuticas dependendo da necessidade. “Quando um problema de visão é mal diagnosticado, ou passa despercebido, outros problemas comportamentais e de saúde podem surgir como desdobramento. Exemplo disso são crianças consideradas irrequietas, difíceis de lidar, impacientes, e que, posteriormente, foram diagnosticadas com miopia. Ou seja: a criança não enxergava nada o que estava sendo escrito na lousa – o que desencadeava a falta de interesse e indisciplina”, relatou o médico.

Estudos demonstram que 60% das crianças classificadas como estudantes portadores de alguma incapacidade ou dificuldade no aprendizado, na realidade tinham problemas de visão nunca diagnosticados. “Quanto mais cedo uma dificuldade visual for diagnosticada e tratada, maiores serão as chances de um tratamento bem-sucedido. Além disso, a visão das crianças pode mudar rapidamente. Daí, ser fundamental consultar um especialista tão logo pais ou responsáveis notem alguma alteração no comportamento ou ainda percebam que a criança vem se queixando mais frequentemente”.

Miopia está aumentando aceleradamente na infância

Renato Neves chama atenção para o grande aumento de casos de miopia entre crianças. Em muitos países, o problema já é considerado uma epidemia. Estudo realizado pelo National Eyes Institute (Estados Unidos) mostra que a prevalência de miopia aumentou de 25% para 42% entre os norte-americanos com idade entre 12 e 54 anos nas últimas três décadas. “A miopia geralmente começa na infância. O míope costuma fechar um pouco os olhos para tentar enxergar melhor quando não está usando óculos ou lentes. Essa é, inclusive, uma dica para os adultos prestarem atenção. Se a criança cerra a vista para ver melhor alguma coisa que está distante, tem algo de errado que deve ser investigado. Para a maioria das pessoas, ela se estabiliza no início da vida adulta, mas há casos em que a miopia continua aumentando ao longo dos anos”.

Segundo o médico, outras queixas muito comuns entre as crianças incluem dor de cabeça, sensação de cansaço nos olhos, irritação e vermelhidão ocular. “Não são poucas que verbalizam a necessidade ‘descansar’ um pouco os olhos antes de continuar a estudar ou até mesmo brincar. Os pais devem estar muito atentos a esse tipo de queixa e buscar ajuda de um especialista”.

Quando o paciente é pequeno, Neves afirma que os óculos são a melhor solução – já que não requerem grandes cuidados e são mais fáceis de se adaptar. Já quando o paciente tem mais de 12 anos e demonstra ser capaz de tomar todos os cuidados diários que as lentes de contato exigem, essa é uma boa opção. Por fim, quando o oftalmologista percebe que houve uma acomodação no grau, a cirurgia refrativa é um ótimo recurso para o paciente se ver finalmente livre de óculos e lentes de contato. “Hoje em dia o procedimento é rápido, praticamente indolor e a recuperação se dá em curto espaço de tempo”.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.