DestaquesSaúde

Uso excessivo do celular pode afetar o desempenho da memória e dos estudos

Efeitos tendem a ser piores em crianças e adolescentes: "podem sofrer dificuldades na linguagem"

O celular que facilita a vida em diversos aspectos, como fazer chamadas, enviar mensagens, usar o GPS, compras, transações bancárias, entre outras ações, necessita que a sua utilização seja feita com inteligência, para não afetar negativamente algumas funções necessárias do cérebro. O uso excessivo pode ser nocivo, inclusive para os estudos.

Renato Alves, escritor, pesquisador, palestrante internacional e o primeiro a receber o título de Melhor Memória do Brasil, mostra que a neurociência coletou dados importantes e que chamam atenção para esses danos. E os exemplos aparecem em costumes aparentemente inofensivos. “A calculadora do celular, por exemplo, é uma aliada para confirmar os resultados de uma conta complexa do trabalho ou da faculdade, mas a partir do momento em que ela começa a substituir a capacidade lógico-matemática, isso se torna um problema”, alerta.

O motivo, segundo o especialista, é que quanto mais se usa a calculadora, mais lento o cérebro fica. “E quando as pessoas precisam fazer uma conta e não tiverem nenhuma calculadora por perto, o cérebro vai demorar mais para raciocinar”, revela.

Renato explica que, nesse mesmo contexto, a memorização pode ser afetada. “Até poucos anos atrás era preciso estimular a própria memória para encontrar um número de telefone e conseguir ligar para alguém. Agora, isso acontece com um único clique, ou dando um comando de voz. Ou seja, estamos perdendo a habilidade de guardar números na memória”, constata.

O pesquisador mostra, ainda, que o celular se tornou um “sequestrador de atenção”. “Quantas vezes alguém estava fazendo algo importante e bastou chegar uma notificação para perder o foco e começar a vagar sem rumo pelas redes sociais? Esses alertas que chegam de forma constante no celular funcionam como um gatilho neurológico”, adverte.

O problema, segundo Renato, é que esse gatilho não tem hora para disparar. “E cada vez que chegar uma notificação ou uma mensagem, o usuário vai receber uma descarga de hormônios como o cortisol, quando reconhece que o conteúdo da mensagem é algo estressante ou de dopamina, quando o assunto for causa de prazer e bem-estar”.

A dopamina, assim como o efeito das drogas no cérebro, provoca uma vontade maior de utilizar o celular, funcionando como um verdadeiro estímulo. “Ou seja, antes, 15 minutos no celular eram suficientes para provocar satisfação e agora são necessárias horas para conseguir atingir essa sensação”, analisa.

Circular pela casa com o celular nas mãos, checando-o todo o tempo, provoca uma perda de 40% do tempo produtivo do cérebro. Há, também o risco de entrar em estado de preguiça mental. “Alguns pesquisadores descobriram que pessoas acostumadas com essa enxurrada de estímulos por conta do celular desenvolvem cérebros mais preguiçosos”.

Outro dado que também chama a atenção são os danos do celular em cérebros que ainda estão em formação, ou seja, de crianças e adolescentes, que precisam receber estímulos do ambiente, ter contato com a natureza e com experiências diferentes. “Porém, ao interagir muito com o celular, esse contato fica prejudicado e a criança pode sofrer dificuldades na linguagem, em lidar com as próprias emoções e com outras pessoas”, alerta.

E o que fazer para evitar esses efeitos negativos? “Na verdade, a resposta é bem simples: assumir o controle, ou seja, equilibrar a vida com o uso da tecnologia. Uma forma de atingir esse objetivo é deletar os aplicativos que drenam a sua energia e também restringir o uso do celular em momentos em que a atenção é crucial, como, por exemplo, durante os estudos. Para fazer isso, é possível colocar o celular em outro cômodo ou desligá-lo enquanto estiver lendo ou estudando”, recomenda.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Siga o Portal N10 no Google News para acompanhar nossas notícias. Clique na imagem abaixo!

Romário Nicácio

Administrador de Redes. Co-fundador do Portal N10 e do N10 Entretenimento. Redator de sites desde 2009, passando pelo Notícias da TV Brasileira (NTB), Blog Psafe e vários outros de temas variados. E-mail: romario@oportaln10.com.br

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Olá pessoal! O acesso ao nosso site é gratuito, porém precisamos da publicidade aqui presente para mantermos o projeto online. Por gentileza, considere desativar o adblock ou adicionar nosso site em sua white-list e recarregue a página.