Telescópio será lançado em outubro para procurar sinais de vida extraterreste
Foto: NASA/Desiree Stover

Telescópio será lançado em outubro para procurar sinais de vida extraterreste

Estamos sós no universo? Esta pergunta é palco de muitas discussões em rodas de amigos e é tema de vários filmes de ficção. Encontrar vida inteligente fora da Terra é um grande desejo da humanidade, e é com este propósito que o Telescópio Espacial James Webb (JWST, sigla em inglês), capaz de detectar sinais de vida em outros planetas em apenas 60 horas, será lançado em outubro deste ano.

A expectativa, segundo Caprice Phillips, autora de uma pesquisa sobre o sucessor do Hubble, os cientistas podem encontrar sinais de vida extraterrestre em breve. “O que realmente me surpreendeu sobre os resultados é que podemos encontrar realisticamente sinais de vida em outros planetas nos próximos 5 a 10 anos”, disse Phillips em um comunicado.

A pesquisadora da Ohio State University calculou que o telescópio James Webb, o mais poderoso do mundo, poderia detectar amônia – considerada um possível sinal de vida – em torno de seis planetas anões gasosos em algumas órbitas. Phillips e sua equipe criaram modelos para ver como os instrumentos do JWST responderiam a diferentes nuvens e condições atmosféricas e, em seguida, fizeram uma lista dos principais candidatos para a busca de vida.

“A humanidade tem contemplado as questões: ‘Estamos sozinhos? O que é a vida? A vida em outros lugares é semelhante à nossa?”, Afirma a pesquisadora. “Minha pesquisa sugere que, pela primeira vez, temos o conhecimento científico e as capacidades tecnológicas para começar de forma realista a encontrar as respostas para essas questões”, acrescenta.

O Telescópio Espacial James Webb deve ser lançado em 31 de outubro de 2021 do espaçoporto de Kourou, na Guiana Francesa. Com um custo de US$ 8,8 bilhões, o dispositivo, que é 100 vezes mais poderoso que o famoso telescópio Hubble, terá como objetivo estudar desde planetas e luas encontrados em nosso Sistema Solar até as galáxias mais antigas e distantes.

Esta notícia foi interessante para você? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: