DestaquesMundo

Supremo dos EUA revoga lei sobre direito ao aborto

Agora, estados podem legislar do jeito que quiserem sobre o tema

(ANSA) – A Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou nesta sexta-feira (24) a sentença histórica do caso Roe v Wade de 1973 que garantia o direito ao aborto legal nos Estados Unidos. A partir de agora, os estados podem legislar do jeito que quiserem sobre o tema mudando um entendimento de cerca de 50 anos.

Conforme analistas norte-americanos, a prática do aborto – mesmo em caso de estupros, incestos ou risco para a mãe – poderá ser restringida em metade dos 50 estados do país. Em alguns casos, de maneira imediata.

A decisão foi tomada, conforme já havia sido antecipado pela mídia norte-americana, por seis votos a três – ou seja, os seis conservadores votaram de maneira unânime contra os três progressistas.

Os que votaram a favor afirmam que a “Constituição não confere o direito ao aborto”. O juiz Samuel Alito ainda reforçou que “está na hora dos estados legislarem sobre o tema”.

Já o grupo de juízes progressistas – Sonia Sotomayor, Elena Kagan e Stephen Breyer – publicou uma nota em que afirmam que “tristemente, muitas mulheres perderam hoje uma proteção constitucional fundamental”.

Logo após a decisão, dezenas de mulheres estão protestando em frente à sede da Suprema Corte – em movimentações que devem aumentar ao longo do dia.

Em maio, quando o portal “Politico” vazou o rascunho de Alito, milhares de pessoas se reuniram em várias cidades do país para protestar contra os juízes.

A lei entrou em julgamento após o estado do Mississippi aprovar uma legislação que proíbe o aborto após 15 semanas de gestação – mesmo que a mulher tenha sido vítima de violência.

Conforme organizações de direitos das mulheres, as mais pobres e que pertencem às minorias serão mais afetadas – já que as mais ricas poderão viajar para estados que permitam o aborto.

Além da questão do aborto, há a preocupação de que direitos civis constituídos e que foram autorizados com base na decisão autônoma de cada indivíduo e no direito à privacidade – como o casamento inter-racial e entre pessoas do mesmo sexo, métodos contraceptivos e forma de criar os filhos – também possam passar a serem questionados.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Siga o Portal N10 no Google News para acompanhar nossas notícias. Clique na imagem abaixo!

Romário Nicácio

Administrador de Redes. Co-fundador do Portal N10 e do N10 Entretenimento. Redator de sites desde 2009, passando pelo Notícias da TV Brasileira (NTB), Blog Psafe e vários outros de temas variados. E-mail: romario@oportaln10.com.br

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Olá pessoal! O acesso ao nosso site é gratuito, porém precisamos da publicidade aqui presente para mantermos o projeto online. Por gentileza, considere desativar o adblock ou adicionar nosso site em sua white-list e recarregue a página.