Foto: Divulgação / EBC

As exportações brasileiras para a China chegaram a US$ 1 bilhão no mês de fevereiro, uma alta de 94,9% em relação ao mesmo período de 2015, quando o Brasil exportou para o país asiático US$ 513,5 milhões.

Segundo dados da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), as compras do mercado chinês saltaram de 997,5 milhões de toneladas para 2,3 bilhões de toneladas, na comparação entre os dois períodos.

A soja em grão é o carro-chefe das exportações brasileiras para a China. Em fevereiro deste ano, os embarques do produto somaram US$ 555,3 milhões (1,59 milhão de toneladas), ante US$ 193,2 milhões (492,7 mil toneladas) de fevereiro do ano passado.

Em segundo lugar, aparece a celulose, que passou de US$ 136,7 milhões (292,1 mil toneladas) para US$ 166,4 milhões (372,6 mil toneladas), na comparação dos dois períodos. O açúcar de cana ou beterraba ocupa a terceira posição: de US$ 38 milhões (121,3 mil toneladas) para US$ 61,7 milhões (221,6 mil toneladas). A seguir, vêm os couros e peles de bovinos, com vendas externas de 53,4 milhões (17,1 mil toneladas) no mês passado.

Carnes de frango e bovina

As carnes também estão entre os produtos brasileiros com forte demanda chinesa. A carne de frango ocupa a quinta posição no ranking das exportações agropecuárias brasileiras para aquele mercado. As vendas do produto saíram de US$ 40,6 milhões (20,5 mil toneladas), em fevereiro de 2015, para US$ 52 milhões (30 mil toneladas), no mês passado.

Em sexto lugar está a carne bovina, que voltou a ser comprada pela China desde o final do ano passado. As vendas do produto alcançaram US$ 47,5 milhões em fevereiro último, o equivalente a 11,1 mil toneladas. Em dezembro de 2012, o governo chinês embargou a carne bovina brasileira, por causa de notificação do caso de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) no Paraná.

No primeiro semestre de 2014, o país asiático suspendeu as restrições. No ano passado, foram habilitados frigoríficos do Brasil para exportar carne bovina para a China. E os maiores volumes começaram a ser registrados a partir deste ano.

A viagem da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, à China, em novembro de 2015, foi decisiva para ampliar o número de estabelecimentos exportadores de carnes.

Cereais, papel, algodão e produtos têxteis e madeira completam a lista dos dez principais itens da pauta de exportação agrícola do Brasil para a China. Em fevereiro último, os embarques de cereais atingiram US$ 14,5 milhões (88,7 mil toneladas). Já as vendas de papel somaram US$ 9,2 milhões (11,5 mil toneladas), as de algodão e produtos têxteis, US$ 7,9 milhões (5,4 mil toneladas) e as de madeira, US$ 6,1 milhões (18,7 mil toneladas).

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.