Destaques, RN

Sesap emite nota sobre suposta ‘superbactéria’ na lagoa de Alcaçuz

Lagoa de Alcaçuz
Foto: Portal N10

Diante de boatos que circulam nas redes sociais a respeito da ocorrência de uma superbactéria denominada Aeromonas na Lagoa de Alcaçuz, que supostamente contaminou uma criança, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) esclarece que não há confirmação quanto ao diagnóstico pela bactéria, tampouco do vínculo dessa infecção à lagoa.

Segundo a Subcoordenadoria de Vigilância Ambiental da Sesap, as bactérias Aeromonas são extremamente comuns no ambiente, especialmente no meio aquático, onde já foram encontradas em rios, lagoas, poços e até mesmo em águas tratadas com cloro. Também podem ser encontradas no solo e em intestinos de animais como peixes e répteis, por exemplo. Por isso, é esperado que na lagoa de Alcaçuz, assim como em outras lagoas e rios, esse e outros microorganismos existam naturalmente.

O adoecimento de indivíduos por microorganismos comuns no meio ambiente depende de uma combinação de fatores individuais. No caso da Aeromonas, casos graves não são comuns. A infecção pode ocorrer principalmente em pessoas com a imunidade comprometida, como gestantes e idosos.

Em contato com o Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (Igarn), a Sesap foi informada de que o órgão realizará uma análise da potabilidade da água na lagoa de Alcaçuz.

A Sesap, por meio das Vigilâncias Epidemiológica e Ambiental, está acompanhando e investigando o caso. Nos próximos dias também será realizada coleta de água para investigação no LACEN. “Assim, qualquer associação entre o suposto caso de contaminação à lagoa de Alcaçuz é muito precoce”, informou a secretaria.

Para mais notícias do Rio Grande do Norte, clique aqui!

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.