Sem acordo no Senado, programa de espionagem da NSA é desativado

(ANSA) – A Lei Patriótica Antiterrorista dos Estados Unidos, que permite a coleta de dados telefônicos pela Agência de Segurança Nacional (NSA), expirou à meia-noite de domingo (31), após o Senado não chegar a um acordo para aprovar uma reforma na legislação. O senador republicado Rand Paul impediu a possibilidade da Casa chegar a um consenso. “A Lei Patriótica expirará esta noite”, disse Paul, que aspira a Presidência dos EUA.

O Senado passou horas em um debate para aprovar uma reforma que permitiria a manutenção de medidas de segurança nacional. Denominado “Freedom Act” (“Lei da Liberdade”), o projeto já tinha sido aprovado pela Câmara de Representantes e tornaria a lei mais branda, porém, ativa, já que a Lei Patriótica é alvo de críticas por recolher dados de cidadãos sem nenhuma ligação com terrorismo. A reforma restringe as ações da NSA e transfere poderes de vigilância a outras entidades.

O chefe da CIA, John Brennan, tinha alertado ontem que, se os programas de vigilância expirassem, aumentaria os riscos de ameaças terroristas.O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, também tinha feito um apelo para que o Senado votasse “rapidamente” o texto. O Senado deve se reunir novamente nesta segunda-feira (1) para tentar aprovar o Freedom Act.

você pode gostar também

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!