O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD-RN) e seu filho, o deputado Fábio Faria (PSD-RN), foram acusados na delação da JBS de terem recebido uma propina no valor de R$ 5 milhões em troca da privatização da Companhia de Águas e Esgoto do Rio Grande do Norte (Caern), divulgou nesta sexta-feira (19) o jornal “O Globo”.

Além das declarações citando Robinson Faria, os empresários da JBS entregaram à Justiça outras provas, como anotações e planilhas com a relação das doações realizadas.

Além de Robinson, outros governadores foram citados na delação. Reinaldo Azambuja (PSDB) e seu antecessor no Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), são citados como beneficiários de pagamentos de R$ 150 milhões entre os anos de 2007 e 2016. A propina teria sido paga em troca de benefícios fiscais recebidos pelo grupo empresarial.

O governador Fernando Pimentel (PT-MG), foi acusado de receber R$ 3,6 milhões no período em que ocupou o ministério do Desenvolvimento na administração Dilma Rousseff. O governador Raimundo Colombo (PSD-SC) é acusado de receber R$ 10 milhões em troca de favorecimento na licitação na companhia de água e esgoto do estado.

Ex-governadores citados:

  • Cid Gomes (PDT-CE) – acusado de receber R$ 20 milhões em troca de liberação de créditos de ICMS;
  • Sérgio Cabral (PMDB-RJ) – acusado de receber R$ 40 milhões em propina;
  • Silval Barbosa (PMDB-MT) – acusado de receber propinas em troca de benefícios fiscais à JBS.

Senadores

Além de Aécio Neves (PSDB), que já foi afastado do Senado, outros senadores são citados. A delação aponta o senador José Serra (PSDB-SP) de ter recebido R$ 20 milhões para campanha. Marta Suplicy (PMDB-SP) teria recebido, segundo os delatores, R$ 4 milhões entre 2010 e 2014.

Há relatos ainda de pagamentos para o deputado João Bacelar (PR-BA) e para o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Outros citados

Também já foram citados na delação da JBS o presidente Michel Temer, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ministros da atual gestão e governadores de estado. Acompanhe aqui todas as notícias relacionadas à delação da empresa.

Nota de Robinson e Fábio Faria

“Sobre a citação do governador do Rio Grande do Norte Robinson Faria e do deputado federal Fábio Faria na delação da JBS, é preciso esclarecer os seguintes pontos: 1 – Ambos informam que conheceram a JBS no período eleitoral e confirmam que receberam doações da empresa citada, somente durante o período de eleições, oficialmente, legalmente, devidamente registradas na Justiça Eleitoral e sem qualquer contrapartida nem ato de ofício; 2 – Não existia, da parte de Robinson e Fábio Faria, qualquer motivo para que houvesse desconfiança em relação à origem da doação feita por meio de contatos do PSD Nacional; 3 – É importante ressaltar que, desde a campanha eleitoral, Robinson Faria tem destacado em inúmeras declarações públicas e entrevistas que não pretende e nem irá privatizar a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN), o que seria, segundo o delator, a motivação do suposto pagamento irregular; Por fim, Robinson e Fábio Faria consideram absurdas as declarações do delator que chama de propina contribuições eleitorais lícitas, com o claro objetivo de se livrar de crimes graves praticados. *Robinson Faria, governador do RN* *Fábio Faria, deputado federal pelo RN*”

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.