Reorganização escolar revolta estudantes potiguares
Foto: Reprodução/UsP imagens

Reorganização escolar revolta estudantes potiguares

novembro 14, 2016 0 Por Rafael Nicácio

Vários estudantes do RN estão preocupados e até mesmo revoltados com as medidas de reorganização escolar proposta pelo governo do Estado.

Com a medida, a Secretaria Estadual de Educação (SEEC) iniciou a reordenação das escolas dividindo as instituições por série: algumas vão oferecer apenas ensino médio e outras apenas ensino fundamental. A medida, no entanto, não é aceita pelos estudantes já que a mudança fará com que eles estudem longe de onde moram.

A Escola Estadual Sebastião Fernandes de Oliveira, no bairro Tirol, é um exemplo das que passarão pela reorganização. A partir de 2017 ela vai ofertar apenas o ensino fundamental. “Estamos indignados com a atitude da Secretaria de Educação do RN em tirar o ensino médio de nossa escola. A mudança também está ocorrendo em outras escolas como o Jean Mermoz, que ficará sem o ensino médio, o Mascarenhas Homem, que irá ficar sem o fundamental, o Castro Alves, que também irá ficar sem o fundamental e a escola Tiradentes sem o fundamental I. Ou seja, vários alunos prejudicados”, disse Igor Souza, presidente do Grêmio Estudantil da Sebastião Fernandes.

De acordo com a SEEC, a reorganização é necessária para garantir a qualidade do ensino ofertado. Porém, os estudantes esperam que o governo recue dessa medida. “Ousaram em tomar essa atitude, não tendo a existência da democracia para que pudéssemos escolher. Isso é um total desrespeito com pais, professores, comunidade e, principalmente, com nós estudantes. Não iremos nos calar e nem aceitar esse absurdo”, disse Igor.

Igor Souza informou ainda que está sendo programada uma grande mobilização para o próximo dia 23 no intuito de fazer com que o governo reveja a remedida. “As escolas confirmadas até o momento são a Sebastião Fernandes, Jean Mermoz e Castro Alves”, frisou.

Estudantes e professores querem que a reorganização seja discutida com a comunidade escolar e que a Secretaria Estadual de Educação acate o que for deliberado como melhor para os alunos.

Esta notícia foi interessante para você? Compartilhe com seus amigos!