Relíquias destruídas pelo Estado Islâmico eram cópias, diz ONG

Relíquias destruídas pelo Estado Islâmico eram cópias, diz ONG

Relíquias destruídas pelo Estado Islâmico eram cópias, diz ONG

Romário Nicácio julho 4, 2015 Mundo

(ANSA) – As supostas relíquias romanas de Palmira destruídas pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI) recentemente eram cópias. É o que afirma o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (Ondus), segundo quem as peças originais foram escondidas pelos milicianos da organização para vendê-las no mercado negro internacional.

Veja também: Estado Islâmico fixa bandeira em Palmira, na Síria

Nos últimos dias, os jihadistas haviam colocado na Internet algumas fotografias nas quais se via um homem submetido a fustigações sob a acusação de ter roubado estátuas e bustos provenientes de Palmira, cidade histórica que abriga sítios arqueológicos transformados em Patrimônio Mundial pela Unesco. Além disso, outras imagens mostravam membros do EI destruindo as relíquias. No entanto, segundo o Ondus, isso foi apenas uma encenação do grupo para encobrir a venda das peças ao exterior.

Outros artigos