Mutações incomuns no coronavírus podem torná-lo ainda mais perigoso
Sinalização informativa sobre o novo coronavírus em um hospital perto de Jacarta, na Indonésia, em 3 de fevereiro de 2020.

Uma equipe de pesquisadores de Pequim e Xangai afirma ter detectado mutações incomuns de coronavírus 2019-nCoV, o que poderia indicar que o vírus está se tornando mais adaptável e, portanto, um pouco mais perigoso.

Os vírus começam a evoluir depois que o sistema imunológico do organismo hospedeiro – incluindo os humanos – se adapta à infecção e começa a bloqueá-la quando tenta novamente se conectar às células.

Algumas dessas mutações, as chamadas sinônimas ou silenciosas, são menores e quase não têm efeito, mas as não-sinônimas afetam o aminoácido e geram alterações na sequência da proteína.

Os autores de um estudo recente publicado na National Science Review indicam que entre 30 de dezembro de 2019 e o final de janeiro de 2020, um total de 17 mutações não-sinônimas de coronavírus foram detectadas, o que poderia significar que o 2019-nCoV está se tornando mais adaptável.

A surpresa é que parte dessas mutações foi encontrada entre membros do mesmo grupo familiar que vive na província de Canton, no sul da China. Portanto, os pesquisadores indicam que a evolução viral pode ter ocorrido durante a transmissão de humano para humano.

No entanto, os cientistas admitem que, no momento, não observaram nenhuma mudança funcional no 2019-nCoV e que essas descobertas não são suficientes para confirmar sua evolução adaptativa. “Portanto, é necessária uma supervisão rigorosa da mutação, evolução e adaptação do vírus”, concluem os autores.

Coronavírus pelo mundo

Enquanto isso, o número de mortes por coronavírus 2019-nCoV no país asiático aumentou para 426. A este número é adicionado o falecimento de um cidadão chinês que morreu nas Filipinas. O número de infectados em todo o mundo excede 20.600, com casos relatados em mais de 20 países .

O surto do novo coronavírus já se espalhou para quatro continentes, o mais afetado é a Ásia. De acordo com os dados mais recentes do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, além da China, também houve casos de infecção no Japão (20), Tailândia (19), Singapura (18), República da Coréia (16), Taiwan ( 10), Malásia (8), Vietnã (9), Emirados Árabes Unidos (5), Índia (3), Filipinas (2), Camboja (1), Nepal (1) e Sri Lanka (1).

Na Europa, os pacientes infectados foram registrados na Alemanha (12), França (6), Itália (2), Reino Unido (2), Rússia (2), Bélgica (1), Finlândia (1), Espanha (1) e Suécia (1). Os Estados Unidos (11), Canadá (4) e Austrália (12) também foram afetados.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.