Mundo

Obama autoriza ataques aéreos contra EI na Síria

obama
Foto: Glenn Fawcett

(ANSA) – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, autorizou nesta segunda-feira (03) as forças norte-americanas a realizar ataques aéreos na Síria. A medida tem como objetivo defender os grupos do país que foram treinados e equipados pelo Pentágono para derrotar o Estado Islâmico (EI, ex-Isis). A estratégia poderá atingir as forças leais ao governo de Bashar al-Assad, não apoiado por Obama, mas que também lutam contra os terroristas. Segundo o “The Wall Street Journal”, a decisão foi tomada após um mês de debates e abre uma nova “crise” com o governo sírio.

Alistaur Baskey, porta-voz do Conselho para a Segurança Nacional da Casa Branca, não quis comentar as novas medidas de combate, mas destacou que a administração federal deixou claro que dará “os passos necessários para fazer com que estas forças conduzam com sucesso a sua missão”.

Até o momento, os ataques da coalizão eram realizados apenas no Iraque, com o consentimento do governo local, atingindo diversos locais de fronteira. Há duas semanas, o governo da Turquia também autorizou que a Força Aérea dos EUA usasse suas bases militares para atacar os extremistas islâmicos.

EI ameaça governo na Líbia

O EI divulgou hoje um vídeo no qual ameaça “decapitar” o general Khalifa Haftar e os membros do Parlamento de Tobruk – que é reconhecido pela comunidade internacional. O jihadista, identificado como Abu Yahya al-Tunsi, afirma que a gravação “é uma advertência a Haftar e a seus companheiros, os ateus que se reúnem no Parlamento, que nós não seremos tolerantes e teremos prazer em degolá-los”.

Ele ainda ressaltou que a “Sharia [lei islâmica] não se aplica com flores, mas com o derramamento de sangue”. A Líbia vive uma guerra civil e uma divisão política profunda, tendo dois Parlamentos – o outro fica em Trípoli. Além dos diversos grupos terroristas que atuam no território e que tentam criar um califado no país, o EI tem conseguido avançar na região nos últimos meses. Os próprios políticos trocam acusações de atentados provocados entre eles.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.