O Inimigo Invisível: animação da UFRN orienta crianças sobre prevenção da Covid-19

maio 8, 2020 0 Por Rafael Nicácio
O Inimigo Invisível: animação da UFRN orienta crianças sobre prevenção da Covid-19

O Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) produziu um vídeo de animação direcionado ao público infantil com orientações sobre a Covid-19 e formas de prevenir a doença.

Trata-se de um projeto de extensão que mobilizou professores do curso de Enfermagem da UFRN e da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), além de alunos dos cursos de Enfermagem, Design e Comunicação Social da UFRN.

O inimigo invisível é um vídeo que se destina a crianças entre quatro e dez anos, buscando atender a necessidade de compartilhar informações sobre a Covid-19 e estratégias para prevenir a contaminação e a disseminação da doença. Mas isso em linguagem apropriada ao público infantil, com foco na faixa de idade que já apresenta desenvolvimento da oralidade até os que já estão na fase pré-escolar e escolar.

Para Caroline Kluczynik, professora do Departamento de Enfermagem da UFRN e coordenadora do projeto, embora essa faixa etária não faça parte do grupo de risco para a Covid-19, já se tem confirmação de casos de crianças e adolescentes infectados e que desenvolveram a doença de forma grave. Por isso a prevenção deve envolver todos os integrantes da família e a informação tem nisso um importante papel.

“Por essa razão, percebemos a necessidade de produzir um material destinado às crianças, com linguagem compatível com a idade delas e em um formato lúdico”, explica a professora.

Prevenção

Enquanto não há vacina nem medicamentos comprovadamente eficazes para o combate à Covid-19, é preciso recorrer a medidas preventivas para evitar o contágio e a propagação do novo coronavírus. A conscientização sobre a necessidade de prevenção se estende também à faixa etária infantil. Trata-se de uma parcela da população que também está sujeita a contrair a doença e a transmiti-la. Mas a maneira de fazer a informação chegar até ela, de modo a ser compreendida e resultar em uma sensibilização para o cuidado com a prevenção, difere da maneira de informar um adulto.

A coordenadora do projeto lembra que a maior parte das informações divulgadas pela mídia se dirige aos adultos. “Cabe aos pais e cuidadores traduzirem essas informações para o campo de entendimento das crianças. É fundamental tratar do assunto de forma clara e tranquila para que a criança compreenda a situação e o que deve fazer sem causar nela estresse, medo e ansiedade”, disse a professora Caroline Kluczynik, que complementou: “esse vídeo busca auxiliar nessa tarefa de informar e também de transmitir para a criança uma mensagem de esperança, de que essa fase vai passar e ela vai poder retornar para a escola, reencontrar os amiguinhos e voltar a conviver com os avós, que precisaram se isolar durante esse período”.