Moradores de Uberaba (MG) poderão ser multados caso descumpra Decreto de Combate à Crise Hídrica

setembro 20, 2017 0 Por Aline Rodrigues
Moradores de Uberaba (MG) poderão ser multados caso descumpra Decreto de Combate à Crise Hídrica

Devido à crise hídrica que permeia alguns municípios do país, será publicado o Decreto de Combate à Crise Hídrica. A divulgação será feita ainda nesta quarta-feira (20), no Porta-Voz, jornal oficial de Uberaba. A determinação já começará a valer a partir desta quinta-feira (21).

Durante a fiscalização, que será realizada pelo Departamento de Posturas e pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e do Centro Operacional de Desenvolvimento e Saneamento de Uberaba (Codau), quem estiver lavando calçadas, ruas, veículos ou regando jardins com mangueira ou outro utensílio que permita o escoamento de água contínua, será autuado.

O objetivo do Decreto é penalizar quem infringir a decisão. A lei municipal 10.270, de 2007, assegura os procedimentos adotados pela cidade. De acordo com informações da assessoria do Codau, o decreto de nº 1083/2017 vai valer por 30 dias. Quem for penalizado, a multa será de uma Unidade Fiscal do Município (UFM), no valor de R$ 232,16.

Segundo anunciou o presidente do Codau, Luiz Guaritá Neto, as autoridades da localidade estão realizando medidas para o fornecimento de água à população. Mas enfatizou a importância da economia feita pelos moradores da região, pois não há previsão de chuvas.

“Estamos chegando à primavera e as chuvas eram para ter acontecido. A notícia ruim que temos que dar é que a expectativa de chuva ainda pode demorar 20 dias. Estamos num período de três semanas futuras, que são críticas. O consumo per capita aumentou em 20% em função da temperatura seca que está presente em mais de 850 municípios brasileiros. Ao mesmo tempo em que temos aumento do consumo, temos uma diminuição diária da vazão do Rio Uberaba. Estamos preocupados com os próximos dias”, ressaltou.

Regiões sofrem com a escassez

Outra cidade que vem sofrendo com a falta de água é o município do Bujari, no Acre. Lá, o reservatório que abastece o município, um dos principais da cidade, está com um nível baixo de água. Na cidade, a situação é bem preocupante, já que o reservatório baixou gradativamente em função do volume de captação que está sendo maior do que o volume de reposição de água no reservatório.