Cinema

“Lino” tem a maior abertura para uma animação nacional

lino o filme

Lino, de origem brasileira e produzida pela StartAnima e distribuída pela Fox Film do Brasil, estreou nos cinemas dia 7 de setembro e bateu o recorde de maior abertura de uma animação nacional.

Mais de 115 mil espectadores foram ao cinema, atingindo cerca de R$ 2 milhões de reais em bilheteria, o que já lhe coloca à frente da carreira completa de outras animações brasileiras, incluindo o filme anterior da produtora, Grilo Feliz e os Insetos Gigantes – cuja arrecadação foi de R$1.952.356.

Lino atingiu a quinta maior abertura de um filme nacional em 2017. O formato 3D representa 51% do total da bilheteria.

Na trama, Lino é um animador de festas muito azarado que não aguenta mais seu emprego, pois precisa vestir todos os dias uma horrorosa fantasia de um gato gigante e aguentar sempre a mesma rotina de maus tratos das crianças. Cansado de tudo e tentando se livrar da falta de sorte que o persegue, Lino resolve buscar a ajuda de Don Leon, um suposto “mago” não muito talentoso, que o transforma justamente no que ele mais queria se livrar: sua própria fantasia! Em sua jornada para reverter o feitiço, Lino será confundido com o “maníaco da fantasia” e passa a ser procurado pela polícia, dando início a uma grande aventura. Em cenas divertidas, dinâmicas e inesperadas, Lino descobrirá um novo amor pelo seu trabalho, pelas crianças e um novo sentido para sua vida.

A animação tem direção de Rafael Ribas e conta com as vozes dos atores Selton Mello, que vive o personagem principal Lino, Paolla de Oliveira, que interpreta Patty, e Janine, vivida por Dira Paes.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.