Lingerie Plus Size: nova tendência no atacado

agosto 14, 2020 0 Por Brunna Mendes
Lingerie Plus Size: nova tendência no atacado

A moda plus size é parte de um mercado em crescimento no país, seja pelo incentivo a uma política de inclusão ou pelo aumento do número de consumidores. Ainda assim, as opções são limitadas para quem veste tamanhos de manequins maiores do que o padrão.

Uma pesquisa feita pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), em 2018, mostra que a quantidade de obesos no Brasil chegou a quase 20%, um dos maiores índices dos últimos 13 anos.

Um estudo do Sebrae aponta que mais de 91% dos consumidores acreditam que os vendedores não estão preparados para vender roupas de tamanhos maiores. E 43,4% afirmam que ainda é muito difícil encontrar peças nos tamanhos adequados.

Esse comportamento do varejo também se repete no mercado de atacado, principalmente para alguns segmentos específicos.

No universo da lingerie, por exemplo, a necessidade de contemplar uma maior variedade de tamanhos é novidade recente para muitas marcas.

Lingerie plus size no atacado

Muitas pessoas contam com a revenda de lingerie para conseguir renda extra e independência financeira. Mas, assim como ocorre no mercado de maneira geral, muitas revendedores repetem o erro de não incluir opções de lingerie plus size nos seus mostruários.

Um erro estratégico, já que ignora uma parte importante da clientela ávida por produtos que atendam às suas necessidades com atendimento profissional e personalizado.

Esse segmento é essencial para garantir sucesso na revenda, pois amplia o número de clientes que poderão consumir e ainda indicar a profissional.

A lingerie plus size é aquela que vai do manequim 44 até o 60 (ou mais) e, atualmente, é possível encontrar boas variedades desses tamanhos no atacado de lingerie.

O nicho de moda íntima percebeu o grande potencial que estava sendo desperdiçado ao não apostar em manequins maiores e vem se adequando.

Sem falar do movimento global que incentiva a inclusão da diversidade e se reflete fortemente na moda a partir da oferta de tamanhos, cores e estilos diversos, capazes de atender e agradar a todos os tipos de consumidores.

Tendências do segmento

Para as revendedoras que estão começando a empreitada com a moda plus size, há algumas tendências no mercado que não podem faltar no estoque.

O sutiã é uma peça muito importante para pessoas de manequim maior, uma vez que ele oferece a sustentação necessária para os seios.

Peças com bojos firmes e ferros na parte inferior tendem a ser boas pedidas. Também vale investir em cortes como cobertura total, cropped e triângulo – ideais para seios mais fartos.

Já no quesito estilo, o sutiã strappy é uma moda que veio para ficar e, claro, também chegou às lingeries plus size.

A peça é sensual – quase sempre aparece sob a blusa, versátil e pode ir do visual despojado ao mais elegante.

Além disso, sutiãs de renda de cores variadas – preto, branco, bege e tons mais vibrantes – não podem faltar na hora de fechar o estoque plus size no atacado.

Para a parte inferior, a ideia de maior sustentação continua valendo. Para isso, cortes como cintura alta e caleçon podem ajudar a deixar a silhueta mais esguia e oferecer mais conforto e segurança.

Porém, a revendedora deve estar atenta aos tamanhos, a fim de ajudar a cliente a comprar o manequim mais adequado para o seu corpo.

Uma lingerie apertada ou muito larga pode ter o efeito oposto ao desejado: acentuar regiões que a mulher se sente insegura, além de marcar e incomodar.

Outra dica fundamental é oferecer um atendimento profissional e educado, livre de preconceitos e constrangimentos. Deixar a cliente confiante e à vontade para encontrar o melhor produto é o segredo para fidelizá-la e fazê-la feliz.