Mundo

Itália lança ‘bolsa família’ para combater pobreza

(ANSA) – O Ministério do Trabalho da Itália lançou nesta terça-feira (19) um projeto chamado “Apoio para a Inclusão Ativa” (SIA, na sigla em italiano), que destinará até 400 euros (R$ 1,44 mil) mensais para famílias que vivem em situação de pobreza.

O benefício será de 80 euros (R$ 288) por membro do núcleo familiar, respeitando o teto de 400 euros – ou seja, famílias com seis ou mais componentes receberão o mesmo que aquelas com cinco integrantes.

Para ter acesso ao incentivo, os núcleos deverão ter Indicador da Situação Econômica Equivalente (ISEE) de até 3 mil euros (R$ 10,8 mil) e a presença de pelo menos um membro menor de idade, deficiente ou grávida. O ISEE é um instrumento criado para avaliar a situação financeira dos italianos, levando em conta renda, patrimônio e características da família.

Além disso, precisarão aderir a um projeto personalizado de inserção social e trabalhista, uma espécie de acompanhamento para deixar a condição de pobreza. Sendo assim, as pessoas beneficiadas deverão se empenhar na busca por trabalho e no cumprimento de objetivos educacionais (como frequência escolar) e sanitários (como vacinação).

As famílias interessadas poderão solicitar a bolsa a partir de 2 de setembro, e o governo acredita que o SIA cobrirá entre 180 mil e 220 mil núcleos e de 800 mil a 1 milhão de cidadãos, metade dos quais menores de idade.

Segundo o ministro do Trabalho Giuliano Poletti, já foram separados 750 milhões de euros (R$ 2,7 mil) para o projeto em 2016, mas ele ressaltou que a medida será apenas uma “ponte” que levará o país à chamada “renda de inclusão”, que ajudará todos os menores de idade em condição de pobreza absoluta, algo em torno de 1 milhão de jovens.

Há apenas quatro meses, o primeiro-ministro Matteo Renzi havia chamado de “esmola de Estado” a proposta do Movimento 5 Estrelas (M5S) de criar uma “renda de cidadania” para pobres. O projeto, atualmente em discussão no Senado, prevê que todas as pessoas maiores de 18 anos que recebam menos de 780 euros (R$ 2,8 mil) por mês tenham um auxílio financeiro para atingir esse patamar.

Atualmente, a pobreza absoluta na Itália atinge 4,598 milhões de pessoas, a cifra mais alta desde 2005, ainda antes da crise que jogou o país em uma longa recessão.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!). Fale conosco!

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.