A denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) aos irmãos Joesley e Wesley Batista pelo crime de uso de informação privilegiada e manipulação do mercado financeiro pelas empresas JBS e FB Participações, foi aceita nesta segunda-feira (16), pela Justiça Federal em São Paulo.

Os irmãos foram denunciados na Operação Acerto de Contas, desdobramento da Tendão de Aquiles, pelos procuradores da República Thaméa Danelon e Thiago Lacerda Nobre, do Ministério Público Federal, em São Paulo, por uso de informação privilegiada e manipulação do mercado.

Alguns dias antes de os executivos da empresa, além de outros gestores do grupo, levar a público o acordo de delação premiada que realizaram com a Procuradoria-Geral da República (PGR), contra o presidente da República, Michel Temer, quando ele dar o aval para comprar o silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato, os irmãos Batistas teriam lucrado R$ 100 milhões com a compra de dólares, segundo o MPF.

Na decisão, o juiz federal João Batista Gonçalves, da 6ª Vara Federal Criminal em São Paulo disse: “Considero existirem suficientes indícios de autoria em relação a cada um dos imputados, havendo, portanto, justa causa para o prosseguimento da persecução penal”.

Além do lucro no valor de R$ 100 milhões, os irmãos sabiam à proporção que a delação ocasionaria. Devido a isso, prevendo a queda das ações da JBS, os Batistas venderam R$ 327 milhões em ações da companhia, de acordo com o Ministério.

Joesley e Wesley estão presos desde setembro na carceragem da Superitendência da Polícia Federal em São Paulo. Wesley, que foi preso em 13 de setembro, em sua casa, em São Paulo, é o principal suspeito de ter realizado as compras dos dólares, por isso, poderá ser sentenciado em até 18 anos de prisão. Ele ainda é suspeito de ter violado sua própria delação premiada.

Joesley pode pegar pena de 13 anos, por ter articulado a manipulação do mercado e uso indevido de informação privilegiada, previstos na Lei 6.385/76, com abuso de poder de controle e administração.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.