RN

IFRN vai economizar R$ 1,3 milhão ao ano com uso de energia solar

O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) bateu a meta prevista no Plano de Desenvolvimento Institucional 2014-2018. No dia 14 de dezembro foram acionados os geradores fotovoltaicos dos campi Ipanguaçu e Macau – os últimos que haviam sido contratados dentro do Projeto IFRN Solar. Com isso, todas as unidades da Instituição já contam com energia solar, atingindo a marca dos 2.139 kWp de potência conectada à rede.

O gerador do Campus Ipanguaçu é composto de 420 painéis de 280 Wp de potência, totalizando 117, 6 kWp, distribuídos em área de aproximadamente 630 m² destinada ao estacionamento de veículos. A energia em corrente contínua que é fornecida pelos painéis é convertida em corrente alternada por quatro inversores trifásicos de 25 kW. Com esse gerador espera-se alcançar uma produção anual média de aproximadamente 182,5 MWh, o que representa 29% do total de energia elétrica consumida nessa unidade nos últimos 12 meses.

Já o gerador implantando no Campus Macau é composto de 315 painéis de 280 Wp de potência, totalizando 88,2 kWp, distribuídos sobre duas áreas de estacionamento, totalizando 472 m² de área coberta. Esse sistema possui ainda 3 inversores trifásicos de 25 kW. A produção anual de energia está estima em 136,8 kWh, o que também corresponde a 29% do consumo elétrico dessa unidade.

“Considerando todos os geradores fotovoltaicos em operação no IFRN, temos potencial para gerar até 3,36 GWh/ano, o que representaria redução de despesa com energia elétrica da ordem de R$ 1,3 milhão por ano. Isso evitaria também a emissão anual de 339 toneladas de CO2 na atmosfera”, explica o engenheiro eletricista do IFRN, Franclin Róbias.

O Projeto IFRN Solar foi iniciado em 2013 com a contração dos 5 primeiros geradores fotovoltaicos, que foram instalados na Reitoria e nos campi Canguaretama, Ceará-Mirim, Currais Novos e São Paulo do Potengi. Desde então, anualmente, os demais campi foram sendo contemplados. A capacidade de cada gerador varia desde 50 kWp, no caso dos campi avançados de Lajes e Parelhas, até 197 kWp no caso do Campus Natal Central.

Agora que todas as unidades do IFRN possuem geração própria de energia elétrica, a próxima meta será cobrir com fonte renovável, no mínimo, 30% do consumo de cada unidade. Ainda de acordo com o engenheiro, as ações de conservação de energia que estão sendo praticadas em alguns campi contribuirão para atingir esse objetivo.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.