Hospitais do RN enfrentam superlotação de leitos

Hospitais do RN enfrentam superlotação de leitos

Hospitais do RN enfrentam superlotação de leitos

Rafael Nicácio fevereiro 22, 2021 Destaques

O Rio Grande do Norte tem enfrentado um novo aumento de casos da Covid-19 e uma já previsível superlotação de leitos para tratamento da doença. Na última sexta-feira (20), a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) confirmou, por meio de pesquisa realizada pelo Instituto de Medicina Tropical da UFRN, que duas novas variantes da covid-19 já circulam em solo potiguar. Esse registro coloca o RN em alerta, já que as duas linhagens do SARS-CoV-2 são associadas a possível maior dispersão e transmissibilidade do vírus. A confirmação vem no momento em que o estado potiguar registra mais de 80% de ocupação dos leitos críticos.

No início desta segunda-feira (22), o Regula RN, plataforma que monitora a situação de leitos, mostrou que a ocupação geral de UTIs está na casa dos 84,1%. A situação mais crítica é na região metropolitana, que tem 89,9% dos leitos ocupados.

Dos 20 hospitais do Rio Grande do Norte que atuam no tratamento de pacientes com a covid-19, nove estão com 100% dos leitos ocupados:

  • Hospital de Campanha de Natal,
  • Hospital Universitário Onofre Lopes,
  • Hospital Regional Tarcísio Maia,
  • Hospital Manoel Lucas de Miranda,
  • Hospital Maternidade do Divino Amor,
  • Hospital Municipal Aluízio Bezerra,
  • Hospital Regional Alfredo Mesquita,
  • Hospital Regional de João Câmara,
  • Hospital Regional Lindolfo Gomes Vidal.

Há ainda três unidades com ocupação em 90%, como o Hospital João Machado (96,5%), Hospital Giselda Trigueiro (96,2%) e o Hospital Regional Dr. Cleodon (90%).

Novas variantes no RN

Novas variantes no RN
Foto: Anastácia Vaz / UFRN

Após a confirmação das novas variantes da covid-19 no RN, a secretaria emitiu um alerta sobre a importância dos cuidados. “O Governo do Estado e a Sesap reforçam a importância de intensificar todas as medidas de controle da transmissão do vírus, evitando aglomerações, intensificando as medidas de vigilância, isolamento de todos os sintomáticos, o reforço do isolamento social, o uso correto da máscara em todos os espaços públicos e privados para que a gente consiga conter essa segunda onda e reduzir o número de casos e consequentemente de internação, nesse momento em que a lotação dos hospitais públicos e privados encontram-se nos seus limites máximos”, disse o secretário de Saúde, Cipriano Maia.

As duas linhagens do SARS-CoV-2 são associadas a possível maior dispersão e transmissibilidade do vírus, o que faz o estado entrar em alerta. As linhagens P1 e P2 foram identificadas em amostras coletadas entre os meses de dezembro de 2020 e janeiro e fevereiro de 2021. Vinte e três amostras pertencem à linhagem P1, destas 15 delas são da cidade do Natal, duas de João Pessoa-PB, uma de Ingá-PBce uma de Conde-PB. Outras quatro são de pacientes da cidade de Manaus (AM), que foram internados no Hospital Universitário Lauro Wanderley em João Pessoa. Além disso, 46 amostras confirmam que a linhagem P2, inicialmente com comprovação de circulação no Rio de Janeiro, já circula no RN.

O secretário também reforçou que o sistema de saúde está em intenso estresse, os trabalhadores com sinais de esgotamento nesse contexto com o aumento de casos. “E essa notícia só reforça e confirma o acerto das medidas tomadas pela governadora e exige, cada vez mais, que todos os municípios intensifiquem as ações propostas no decreto e com isso a gente possa frear a transmissibilidade. Intensificar as ações de controle na atenção básica, na vigilância de cada município, para assim a gente conseguir ter êxito e reverter essa situação que assola o Brasil e o Estado do Rio Grande do Norte. O apelo é para que possamos reforçar todas as medidas, na parceria do governo com a sociedade para que possamos intensificar as medidas de controle”, disse ele.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial.

Outros artigos