gasolina
Foto: Divulgação

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vai investigar a possível existência de cartel nos postos de combustíveis do país. A apuração será realizada a pedido do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco. De acordo com ele, os postos não têm acompanhado a política de preços da Petrobras quando a estatal reduz o valor dos combustíveis nas refinarias.

“O fornecedor é que fixa preço e o consumidor tem direito a escolher um preço mais baixo. O que nós estamos vendo é que quando há queda na Petrobras, ela não se reflete na bomba de gasolina. O consumidor não está sendo beneficiado”.

O pedido ao Cade foi realizado nesta quinta-feira (8), durante reunião entre o ministro e o presidente do Conselho, no Palácio do Planalto.

Após o encontro, Moreira Franco disse no Twitter que é preciso preservar “o direito dos consumidores de combustível aos benefícios da livre concorrência”. Na primeira semana deste ano, a Petrobras reduziu os preços do diesel e da gasolina nas refinarias, respectivamente, em 3,5% e 2%. As reduções voltaram a ocorrer em outras duas oportunidades ainda no mês de janeiro.

A nova política de preços da Petrobrás acompanha o Preço de Paridade Internacional, o PPI, que é uma margem para remuneração de riscos inerentes à operação e nível de participação no mercado. Assim, a empresa estabelece que nunca vai ter preços abaixo da paridade internacional.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.