Em novo recorde, Brasil registra 3.650 mortes por Covid em 24h
Manifestação do Sindicato dos Professores em Porto Alegre (Foto: Caco Argemi / CPERS)

Em novo recorde, Brasil registra 3.650 mortes por Covid em 24h

O Brasil segue tendo dias difíceis por conta da pandemia do novo coronavírus. Somente nas últimas 24 horas o país registrou 3.650 mortes por Covid-19, elevando o total de vítimas para 307.112, segundo informou o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Ainda segundo o Conass, o Brasil registrou 84.245 casos diários, atingindo 12.404.414 infectados desde março do ano passado. O país é o segundo mais afetado pela pandemia e epicentro da Covid-19 em todo o mundo

Este é o maior número de vítimas contabilizado em um dia desde o início da emergência sanitária, em março de 2020. Além disso, é a segunda vez que o país ultrapassa a marca de 3 mil óbitos em 24 horas, a primeira foi na última terça-feira (23).

Os tristes números podem ser ainda maiores, já que os dados do Ceará não foram atualizados devido a problemas técnicos no acesso à base de dados. Só o estado de São Paulo é responsável por 1.193 óbitos no dia de hoje, maior número diário desde o ano passado e acumulou 70.696 mortes, desconsiderando a subnotificação.

Entre os estados com mais pessoas que perderam a vida estão Rio de Janeiro (35.758), que também tem a maior taxa de letalidade do país (5,6%), seguido por Minas Gerais (22.887) e Rio Grande do Sul (18.349).

No Rio Grande do Norte foram notificados 45 novos óbitos, elevando o total de vítimas para 4.354, e 2.273 novas pessoas diagnosticadas com a doença, totalizando 191.752 pessoas infectadas desde o início da pandemia.

As médias móveis de casos e óbitos nos últimos sete dias continuam subindo e chegaram a 76.146 e 2.400, respectivamente. A taxa de letalidade está em 2,5%, enquanto que a incidência foi para 5.902,7 para cada 100 mil habitantes.

ButanVac

Instituto Butatan informou nesta sexta-feira (26) a criação da primeira vacina brasileira contra a Covid-19. O instituto vai solicitar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorização para iniciar em abril um ensaio clínico de fase 1 e 2 para o desenvolvimento de uma nova vacina contra a Covid-19 chamada ButanVac. O novo insumo já está em desenvolvimento e uma produção piloto foi finalizada para atender os voluntários dos testes.

Após o anúncio do Butantan, o ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, revelou que outro imunizante desenvolvido pela Universidade de São Paulo está sendo financiado pelo governo Bolsonaro.

Esta notícia foi interessante para você? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: