‘Desafio do Balde de Gelo’ financiou descoberta de gene

(ANSA) – O “Desafio do Balde de Gelo”, campanha viral que percorreu a web mundial em 2014, conseguiu financiar pesquisas que descobriram um novo gene relacionado à esclerose lateral amiotrófica (ELA). Com os recursos angariados pela campanha, cientistas identificaram a existência do gene NEK1, que contribui para o desenvolvimento da doença, a qual é degenerativa e incurável.

O “Desafio do Balde de Gelo” levantou US$ 115 milhões (cerca de R$ 376,9 milhões) em doações em todo o mundo. Pela campanha, as pessoas doavam verbas para a pesquisa do ELA e gravavam vídeos lançando água gelada sobre a cabeça. Personalidades como Justin Bieber, Taylor Swift e o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, participaram da ação que contou com 17 milhões de adeptos.

Na época, a campanha chegou a ser criticada por pessoas que a viam apenas como um modismo de internet. O “Projeto MinE”, que descobriu o novo gene ligado ao ELA, foi realizado por um grupo de pesquisadores independentes fundado em 2013 por dois portadores da doença. O estudo foi publicado no periódico científico “Nature Genetics” e é o maior já feito sobre a transmissão hereditária do ELA.

A pesquisa recolheu dados genéticos de familiares de vítimas e contou com 80 pesquisadores em 11 países. A descoberta permitirá que os cientistas busquem uma nova terapia genética contra o ELA.

você pode gostar também

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!