Decreto garante vagas de emprego a presos e ex-detentos no Brasil
Foto: Divulgação/Governo do Ceará

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (25) o decreto que cria a Política Nacional de Trabalho no âmbito do sistema prisional (Pnat). A medida garante a inserção de presos e ex-detentos no mercado de trabalho por parte das empresas que vencerem licitações para serviços com a administração pública federal direta e também com autarquias e fundações. Entre as atividades que poderão ser executadas estão os serviços de limpeza, vigilância, alimentação, entre outros.

Como funciona?

Empresas com contrato de serviço por licitação com o Poder Executivo, em valores acima de R$ 330 mil, serão obrigadas a reservar vagas de emprego para presos ou egressos do sistema prisional.

Quem tem direito?

Presos provisórios, presos em regime fechado, semiaberto e aberto, além daqueles que já cumpriram a pena estão contemplados pelo decreto.

Os detentos devem ser autorizados pelo juiz de Execução Penal, ter cumprido ao menos um sexto da pena e cumprir requerimentos como aptidão e disciplina.

Quantas vagas serão abertas?

A empresa contratada pela administração pública federal terá de reservar de 3% a 6% da mão de obra para presos ou egressos do sistema carcerário. O percentual irá variar conforme a quantidade de pessoas necessárias para prestar o serviço:

  • 3% das vagas, quando a execução do contrato demandar até 200 funcionários;
  • 4% das vagas, quando a execução do contrato demandar de 201 a 500 funcionários;
  • 5% das vagas, quando a execução do contrato demandar de 501 a mil funcionários;
  • 6% das vagas, quando a execução do contrato demandar mais de mil funcionários.

Objetivo

Facilitar e ampliar a ressocialização de presos e ex-detentos no mercado de trabalho.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.