DestaquesUniverso

Cientistas sugerem possibilidade de vida em Vênus

De acordo com o estudo, planeta pode possuir uma forma de vida que gera gás amônia, produzido naturalmente pelo apodrecimento de plantas e animais

Um grupo de pesquisadores liderado pela astrofísica Sara Seager, professora de ciências planetárias do Massachusetts Institute of Technology (EUA), sugere em estudo publicado nesta segunda-feira (20) no Proceedings of National Academy of Sciences que a amônia contida nas nuvens de Vênus podem tornar o planeta escaldante apto para a vida.

No ano passado, a cientista participou de outro estudo que, pela primeira vez, levantou a possibilidade de um dia habitar Vênus após detectar o gás fosfano em sua atmosfera, que em pequenas quantidades pode ser produzido naturalmente a partir da degradação da matéria orgânica. “Foi bastante controverso, mas chamou muita atenção para Vênus”, disse Seager ao Inverse.

Vênus é o segundo planeta mais próximo do Sol, mas o mais quente em nosso sistema, com temperaturas de até 480 graus Celsius, embora em termos de tamanho, massa e densidade se assemelhe muito à Terra. A atmosfera de Vênus é composta principalmente de dióxido de carbono e retém calor, como ocorre atualmente com os gases de efeito estufa em nosso planeta.

No entanto, os cientistas depositam sua esperança nas nuvens venusianas, já que suas temperaturas são mais suportáveis, e a habitabilidade potencial do planeta pode originar-se nas gotículas do líquido de que são compostas.

Enquanto alguns autores do estudo publicado em 2020 queriam continuar investigando a possibilidade de que as nuvens de Vênus pudessem ser habitáveis, deixando de lado as investigações relacionadas ao fosfano, a equipe de Seager criou um modelo químico da atmosfera venusiana assumindo que o planeta possui uma forma de vida que gera gás amônia, produzido naturalmente pelo apodrecimento de plantas e animais.

Embora os cientistas não tenham certeza da origem da amônia venusiana, eles sugerem que pode ser o resultado de processos biológicos, o que também explicaria a presença de oxigênio na atmosfera. “Uma consequência muito boa disso [a presença de amônia] é que algumas das gotículas de nuvem em Vênus eram mais habitáveis ​​do que se pensava”, explicou Seager. A maioria dessas partículas é feita de ácido sulfúrico, uma substância perigosa e tóxica para a vida na Terra. Mas se o novo modelo estiver correto, algumas das gotículas, talvez, não sejam tão ácidas quanto o ácido sulfúrico concentrado puro.

Embora o estudo recente não forneça nenhuma prova de vida em Vênus, é um passo importante para desvendar os mistérios do planeta e avaliar seu potencial de ser habitável .

Não estamos afirmando que existe vida em Vênus, estamos apenas levantando uma hipótese, esclareceu a astrofísica. “E em um futuro muito distante, se tudo correr bem, podemos tentar trazer uma amostra de nuvem para a Terra em busca da própria vida”, acrescentou.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Siga o Portal N10 no Google News para acompanhar nossas notícias. Clique na imagem abaixo!

Romário Nicácio

Administrador de Redes. Co-fundador do Portal N10 e do N10 Entretenimento. Redator de sites desde 2009, passando pelo Notícias da TV Brasileira (NTB), Blog Psafe e vários outros de temas variados. E-mail: romario@oportaln10.com.br

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Olá pessoal! O acesso ao nosso site é gratuito, porém precisamos da publicidade aqui presente para mantermos o projeto online. Por gentileza, considere desativar o adblock ou adicionar nosso site em sua white-list e recarregue a página.