CiênciaDestaques

Cientistas conseguem cultivar sementes em solo lunar pela primeira vez

Coautor do estudo acredita que esta pesquisa é uma revelação, e diz que "a vida não se limita à Terra"

Uma equipe de cientistas norte-americanos publicou na Communications Biology, da revista Nature, um estudo no qual anunciam ter cultivado pela primeira vez sementes em amostras de solo lunar extraídas durante missões da NASA à Lua entre 1969 e 1972.

Os pesquisadores plantaram sementes de uma planta com flores chamada Arabidopsis thaliana em 12 pequenos recipientes, cada um contendo um grama de solo lunar, chamado regolito lunar.

Surpreendentemente, cada semente germinou e não houve diferenças externas nos estágios iniciais de crescimento entre aquelas plantadas no regolito e as sementes que por razões comparativas foram colocadas em cinzas vulcânicas na Terra, com composição mineral e tamanho de partícula semelhantes.

O regolito lunar, com sua falta de matéria orgânica, difere muito do solo da Terra, portanto essa é uma grande conquista que indica o potencial do uso de plantas terrestres para apoiar astronautas em viagens tripuladas a outros planetas.

Germinação e desenvolvimento no regolito lunar (Foto: Divulgação)

“Quando vimos pela primeira vez a abundância de brotos verdes no topo de todas as amostras, ficamos sem fôlego”, disse Anna-Lisa Paul, professora de ciências hortícolas, diretora do Centro Interdisciplinar de Pesquisa em Biotecnologia da Universidade da Flórida e principal autora do livro estudo. “As plantas podem crescer no regolito lunar. Essa simples afirmação é enorme e abre as portas para futuras explorações usando recursos na Lua e provavelmente em Marte.”

No entanto, à medida que os estágios de desenvolvimento das plantas progrediam, tornou-se evidente que aquelas cultivadas em regolito cresciam mais lentamente do que as cultivadas em solo terrestre e eram geralmente menores e mais propensas a exibir características relacionadas ao estresse, como raízes atrofiadas e um preto-avermelhado, coloração que não é típica de crescimento saudável. Eles também mostraram atividade genética indicativa de estresse, semelhante às reações das plantas ao sal, metal e oxidação.

“Embora as plantas pudessem crescer no regolito, elas precisavam trabalhar muito metabolicamente para fazê-lo”, observou Paul.

Ainda assim, o coautor do estudo Rob Ferl acredita que esta pesquisa é uma revelação, e diz que “a vida não se limita à Terra” e que “podemos ir à lua e cultivar nossa comida, limpar nosso ar e reciclar nossa água usando plantas da maneira nós os usamos aqui”, em nosso planeta.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Siga o Portal N10 no Google News para acompanhar nossas notícias. Clique na imagem abaixo!

Romário Nicácio

Administrador de Redes. Co-fundador do Portal N10 e do N10 Entretenimento. Redator de sites desde 2009, passando pelo Notícias da TV Brasileira (NTB), Blog Psafe e vários outros de temas variados. E-mail: romario@oportaln10.com.br

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Olá pessoal! O acesso ao nosso site é gratuito, porém precisamos da publicidade aqui presente para mantermos o projeto online. Por gentileza, considere desativar o adblock ou adicionar nosso site em sua white-list e recarregue a página.