China novo coronavírus infectou 400 pessoas e provocou 9 mortes

(ANSA) – O coronavírus registrado na China, Estados Unidos e em diversos países da Ásia provocou a morte de nove pessoas e infectou ao menos 400, segundo o último balanço revelado pelas autoridades de saúde chinesas nesta quarta-feira (22). Segundo a vice-ministra da Comissão Nacional de Sáude, Li Bin, a variação batizada como 2019-nCoV pode sofrer mutação e se propagar mais rapidamente. Os sintomas da doença são similares aos causados pela Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars).

Um primeiro caso de contágio também foi registrado em Hong Kong.

O paciente, que está em isolamento, chegou de Wuhan após viagem em um trem de alta velocidade. Hoje, a Organização Mundial da Saúde (OMS) realizará uma reunião de emergência para decidir se declara o surto como uma emergência internacional de saúde e debater medidas. Além disso, a Comissão Europeia e os representantes dos Estados-membros discutirão, por teleconferência, os últimos desenvolvimentos, as medidas já adotadas a nível nacional e as que podem ser tomadas no continente.

O risco do vírus se espalhar para a Europa passou de “baixo” para “moderado”, principalmente porque tem sido transmitido de pessoa por pessoa, informou o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC). Na Itália, o Ministério das Relações Exteriores pediu para os viajantes italianos tomarem cuidado e “evitar qualquer contato com animais e pessoas com doenças respiratórias na área afetada”. O governo italiano ainda implementou no aeroporto de Fiumicino um processo de triagem a passageiros provenientes de Wuhan.

A medida foi exigida pelo Regulamento Sanitário Internacional na tentativa de barrar a infecção no território italiano.

Atualmente o aeroporto opera três voos diretos para a cidade chinesa e diversos voos não diretos. Ontem (21), nos Estados Unidos, as autoridades locais registraram o primeiro caso de infecção pelo coronavírus em Seattle. O viajante, cuja identidade está sendo mantida em sigilo, chegou recentemente de Wuhan, cidade chinesa considerada o epicentro do surto da doença, que causa uma espécie de pneumonia.

Agora cedo, o presidente americano, Donald Trump, afirmou que tem um plano em prática para conter o surto. O republicano fez um discurso paralelo no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça. “Temos, sim, um plano e acreditamos que isso será conduzido muito bem. Já tratamos bem disso. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças é maravilhoso. Muito profissional”, disse.

Trump ainda ressaltou que os Estados Unidos está em “ótima forma” e a China também deve estar.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.