Centro de lançamento Barreira do Inferno completa 50 anos

Em 1964, os militares Pedro Ivo Seixas (Tenente Brigadeiro) e Ivan Janvrot Miranda (Coronel Aviador) vieram a Parnamirim em busca de um espaço para a implantação do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI). O terreno foi doado pelo empresário Fernando Pedroza e ali começava a história do primeiro centro de lançamento de foguetes espaciais da América do Sul, inaugurado em 12 de outubro de 1965. “Aqui era o lugar que mais se enquadrava no que estávamos procurando. O terreno é próximo ao mar, necessário para o impacto de volta dos foguetes e bem perto da linha do equador magnética, importante para o impulso dos foguetes”, explica o Coronel Aviador, Ivan Janvrot.

O local é administrado pela Força Aérea Brasileira e já lançou ao longo dos anos mais de três mil foguetes de sondagem. O objetivo é executar experimentos, pesquisa básica ou aplicada e outras atividades de desenvolvimento tecnológico de interesse da Aeronáutica, além de prestar apoio às atividades de lançamento e rastreio de engenhos aeroespaciais e de coleta e processamento de dados de suas cargas úteis. “Daqui lançamos foguetes de pesquisa de pequeno, médio e grande porte. Nosso trabalho desenvolve a economia e turismo da cidade”, afirma o Diretor Geral da CLBI, Coronel Aviador Alcântara.

O professor do departamento de Geofísica da UFRN, Gilvan Borba, desenvolve pesquisas na Barreira do Inferno e destaca a importância do local. “O que estudamos aqui tem implicações em todo o país. Geramos conhecimento tecnológico aeroespacial e contribui para pesquisas nessa área”, argumenta o professor.

Para quem tem interesse em conhecer um pouco mais da história do CLBI e tecnologia aeroespacial no Brasil, foi inaugurado em 2011 em parceria com a Prefeitura de Parnamirim, o Centro de Cultura Espacial e Informações Turísticas. O local abriga um acerto com painéis fotográficos, réplicas de foguetes, lançadores e um avião AT-26 Xavante de fabricação brasileira. “A barreira do inferno é um dos equipamentos turísticos mais importantes do Estado e temos a honra de fazer parte aqui de Parnamirim. O Centro de cultura espacial veio para acrescentar nossa cultura e hoje recebe mais de 300 mil visitantes por ano”, conta o secretário de Turismo, Esporte e Lazer de Parnamirim, Laizomar Wanderley.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Centro de Cultura Espacial e informações turísticas funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 14h. Para mais informações sobre visitas e agendamentos de palestras, ligar para o telefone 3216-1400.

você pode gostar também

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!