Destaques, Meio Ambiente

Bolsonaro e ministro do Meio Ambiente atacam Greenpeace

O Esperanza em águas da Guiana Francesa, durante a expedição científica para documentar o recife dos Corais da Amazônia, este ano © Pierre Baelen / Greenpeace

(ANSA) – O presidente Jair Bolsonaro fez uma crítica à ONG Greenpeace, dizendo que a entidade “só atrapalha” o governo e que o vazamento de óleo no nordeste é “terrorismo”. “Esse Greenpeace só nos atrapalha. Não sei o que ele [ Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente] falou, tenho que conversar com ele para entrar em detalhes, mas o Greenpeace só nos atrapalha, não nos ajuda em nada”, afirmou Bolsonaro, em viagem oficial à China.

Salles atacou ontem (24), nas redes sociais, a organização ambiental, insinuando que o Greenpeace poderia estar envolvido no vazamento de óleo na costa brasileira, que vem afetando diversas praias nordestinas. “Tem umas coincidências na vida né…Parece que o navio do #greenpixe estava justamente navegando em águas internacionais, em frente ao litoral brasileiro bem na época do derramamento de óleo venezuelano”, tuitou o ministro, usando, porém, uma foto antiga, de 2016. A imagem mostra o navio “Esperanza”, da ONG, em uma missão no litoral espanhol.

Em nota, a ONG disse que o ministro vem tentando criar uma “cortina de fumaça” e atacou a entidade como uma “mentira”. O Greenpeace também informou que tomará medidas legais após as acusações de Salles. “Enquanto o óleo continua atingindo as praias do Nordeste, o ministro Ricardo Salles nos ataca insinuando que seríamos os responsáveis por tal desastre ecológico. Trata-se, mais uma vez, de uma mentira para criar uma cortina de fumaça na tentativa de esconder a incapacidade de Salles em lidar com a situação”, escreveu a ONG.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nas redes sociais que Salles fez uma “ilação desnecessária” em sua acusação contra o Greenpeace.

De acordo com um balanço do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), o óleo já atingiu pelo menos 229 localidades em 87 municípios do nordeste, entre eles as praias do Forte (BA) e Areia Preta (RN). Ponta Negra (RN), Porto de Galinhas (PE) e Ilhéus (BA) também foram atingidas pelo petróleo.

Em Pernambuco, por exemplo, 17 pessoas foram atendidas no Hospital Municipal Osmário Omena Oliveira com sinais de intoxicação pelo contato com o óleo.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!). Fale conosco!

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.