Foto: Divulgação

(ANSA) – Após mais de 17 horas de discussões e de intensos protestos em Buenos Aires, a Câmara dos Deputados da Argentina aprovou a reforma da previdência apresentada pelo governo nesta terça-feira (19).

A aprovação ocorreu pouco após às 7h (hora local) e contou com 128 votos a favor, 116 contra e duas abstenções. Os governistas gastaram um bom tempo dialogando com membros de sua base e até de peronistas que aceitaram conversar sobre a reforma para aprovar a medida, que deve reduzir os ganhos dos aposentados que recebem até 10 mil pesos por mês. De acordo com o “Clarín”, o governo se comprometeu a dar um bônus em março, através de um decreto, para esse grupo de afetados.

De acordo com cálculos oficiais, a Casa Rosada deve “economizar” cerca cerca de US$ 5,7 milhões em 2018 com a reforma.

Para a oposição e os sindicatos, a lei vai deteriorar os recebimentos de 17,6 milhões de pessoas, que perderão renda por conta do avanço da inflação. Por sua vez, o presidente Mauricio Macri defende que a mudança na fórmula do cálculo vai trazer benefícios e renda a médio e longo prazo.

Ontem (18), em protestos convocados pela oposição e pelos sindicatos contra a reforma, 162 pessoas ficaram feridas – sendo 88 agentes da polícia – e 60 foram presas durante os atos em Buenos Aires.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.