Após ataque em Cabul, Biden diz que ‘EUA não serão intimidados’

Após ataque em Cabul, Biden diz que ‘EUA não serão intimidados’

Após ataque em Cabul, Biden diz que ‘EUA não serão intimidados’

Presidente afirmou que irá "caçar" e fazer todos os responsáveis pagarem pelo atentado que deixou pelo menos 72 mortos, incluindo 12 militares norte-americanos (Foto: Pajhwok Afghan News / Twitter)

Romário Nicácio agosto 26, 2021 Mundo

(ANSA) – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta quinta-feira (26) que seu governo não será intimidado e que irá “caçar” e fazer todos os responsáveis pagarem pelo atentado em Cabul, no Afeganistão, que deixou pelo menos 72 mortos, incluindo 12 militares norte-americanos.

“Para aqueles que realizaram este ataque, bem como para qualquer pessoa que deseja mal à América, saibam disso: não vamos perdoar. Não vamos esquecer. Vamos caçá-los para fazer vocês pagarem”, disse o democrata, visivelmente abatido, em pronunciamento na Casa Branca.

Apesar dos ataques, Biden reafirmou que manterá a operação de evacuação de norte-americanos e civis afegãos aliados dos Estados Unidos e ressaltou que “esses terroristas do Estado Islâmico não vão vencer”.

“Vamos resgatar os americanos. Vamos tirar nossos aliados afegãos. E nossa missão continuará. A América não será intimidada”, acrescentou ele, enfatizando que seu governo tentará mesmo depois da data continuar a retirar os afegãos que ajudaram os EUA.

O líder americano ainda explicou que ordenou aos seus comandantes que desenvolvam planos operacionais para atacar os principais ativos, liderança e instalações do Estado Islâmico.

“Responderemos com força e precisão no nosso tempo, no lugar que escolhermos, no momento de nossa escolha. Eu instruí os militares em tudo que eles precisassem – se eles precisarem de força adicional, eu concederei”, garantiu.

Para Biden, não há evidências de “conluio” entre o Talibã e os jihadistas, o que sugere que não foi um erro confiar no grupo fundamentalista para contribuir com a segurança nas evacuações.

Segundo ele, os agressores podem ter saído de prisões que foram abertas pelo Talibã durante a conquista relâmpago do Afeganistão.

As explosões no aeroporto de Cabul foram assumidas pelo braço afegão do Estado Islâmico (EI-K), de acordo com a agência vinculada ao grupo extremista, Amaq News. O EI-K é considerado mais radical do que o Talibã e foi um dos críticos ao acordo de paz que culminou na retirada das tropas estrangeiras do Afeganistão.

Ao falar sobre as vítimas do atentado, Biden pediu um minuto de silêncio por todos que foram mortos em Cabul e elogiou os 12 militares “que deram suas vidas” para salvar pessoas.

“Heróis que se envolveram em uma missão perigosa e altruísta para salvar a vida de outras pessoas”, disse o presidente.

Biden prestou solidariedade a “todas as famílias afegãs que perderam pessoas, incluindo crianças, neste ataque cruel”. “Estamos indignados e também com o coração partido”, finalizou.

Os ataques de hoje no aeroporto de Cabul marcam o dia mais mortal para as tropas americanas no Afeganistão em mais de uma década.

Em agosto de 2011, um helicóptero transportando forças especiais dos EUA foi abatido por tropas do Talibã no Vale Tangi, cerca de 97 km a sudoeste de Cabul. Na ocasião, 30 soldados americanos foram mortos.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial.

Outros artigos