Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Desde essa terça-feira (17) a alimentação dentro dos hospitais estaduais do RN foi suspensa para os acompanhantes e servidores, sendo garantida apenas para os pacientes. O motivo é a greve dos funcionários terceirizados da empresa JMT, responsável pela produção das refeições. Os servidores da empresa JMT estão sem receber o salário de dezembro.

Os servidores da saúde, que trabalham em plantões de 12 horas, estão sem café, almoço e janta. “Nós já estamos recebendo atrasado, pagando juros, e agora vamos ter que pagar pra comer? Não tenho condições de pagar quentinha”, afirma uma técnica no Hospital Deoclécio Marques de Lucena, em Parnamirim. O vencimento básico inicial de um técnico de enfermagem em regime de 12 plantões de 12 horas é de R$ 1.030,26, além de uma gratificação fixa de R$ 251,69. Os valores estão sem sofrer nenhuma alteração desde 2014.

Em novembro, as refeições chegaram a ser suspensas por quase uma semana nos hospitais estaduais, por atraso no pagamento às empresas fornecedoras de alimentos.

Além da falta de pagamento do salário dos funcionários da JMT, os servidores da SAFE, que fazem a higienização dos hospitais, ainda não receberam o décimo-terceiro salário. A Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) informa que efetuou o repasse à empresa.

Em nota, o Sindicato dos Servidores em Saúde do RN (Sindsaúde) exige que a empresa pague em dia os salários dos terceirizados, garantindo os seus direitos e o retorno do fornecimento da alimentação.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.