Home Notícias Mundo Neymar pode ser julgado por corrupção na Espanha

Neymar pode ser julgado por corrupção na Espanha

Publicidade

Neymar pode ser julgado por corrupção na Espanha
Neymar atuando pelo Barcelona (Foto: Reprodução/sportv.com)
0
Publicidade

(ANSA) – A Procuradoria da Espanha pediu o indiciamento do brasileiro Neymar por corrupção, informou a rádio “Cadena Ser” nesta terça-feira (07). A acusação refere-se à transação que levou o jogador do Santos para o Barcelona, em 2013, e aponta uma fraude nos valores negociados entre o grupo DIS, que possuía 40% dos direitos no contrato, e o clube catalão.

Além de Neymar, a Procuradoria pediu que o pai do atleta, Neymar, sua mãe, Nadine, os ex-presidentes do Barcelona e do Santos, Sandro Rosell e Odílio Rodrigues, respectivamente, o clube catalão e o brasileiro, e a empresa dos pais do jogador, N&N, sejam julgados pelo mesmo crime. O atual mandatário do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, foi considerado inocente e teve a solicitação de arquivamento de inquérito.

De acordo com o jornal “Sport”, Neymar e seu pai são acusados de “crime de corrupção em negócios referentes ao artigos 286 e 288 do código penal”, que podem resultar em até dois anos de prisão e pesadas multas do Fisco. Porém, assim como ocorre no julgamento de Messi, a prisão não deve ser efetuada pela pena ser inferior a dois anos. Já o clube e Rosell são acusados pelo mesmo crime, mais o delito e fraude. O Santos e Rodrigues são acusados apenas de fraude no negócio.

O indiciamento tem como base o fato que o Barcelona mentiu sobre o valor da venda de Neymar. Em 2013, foi anunciado que o jogador custou 57,1 milhões de euros, quando na verdade, a transação foi de 83,3 milhões de euros. Em nota, a Procuradoria afirmou que a manobra que omitiu o real valor da negociação de Neymar prejudicou tanto o grupo como outros clubes interessados no craque.

“[Os contratos] alteraram, desta maneira, o livre mercado da compra de jogadores e prejudicaram também o fundo DIS, que se viu privado da possibilidade de que o jogador entrasse no mercado conforme as regras da livre concorrência e pudesse obter um valor maior pela negociação”, afirmaram os procuradores.

Por sua vez, a N&N emitiu nota informando que a empresa e “as pessoas físicas citadas não foram notificadas” pela Justiça espanhola. Defendendo-se, a N&N ainda informou que “a participação da DIS nos direitos econômicos do atleta Neymar Jr. referia-se somente ao contrato mantido com o Santos FC, e foi integralmente quitado, tendo a DIS apurado lucro de 290%”.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!