Home Notícias Política Ministros dizem que Dilma anunciará ações de combate à corrupção nos próximos dias

Ministros dizem que Dilma anunciará ações de combate à corrupção nos próximos dias

Ministros dizem que Dilma anunciará ações de combate à corrupção nos próximos dias
Foto: Reprodução/TV NBR
0

Após os protestos realizados neste domingo (15), os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, informaram em uma entrevista coletiva que a presidente Dilma Rousseff anunciará “nos próximos dias” uma série de medidas de combate à corrupção e à impunidade.

As ações que serão adotadas não foram detalhadas, mas os ministros afirmaram que o governo está “aberto ao diálogo” para tratar as propostas. Os protestos reuniram, só em São Paulo, de acordo com a Polícia Militar, 1 milhão de pessoas na Avenida Paulista. Em Brasília, também segundo estimativa da PM, foram cerca de 45 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios.

“O governo, que tem uma clara postura de combate à corrupção, que ao longo desse últimos tempos tem criado mecanismos que propiciam as investigações com autonomia, irá anunciar algo que já era uma promessa eleitoral: um conjunto de medidas de combate à corrupção e à impunidade. A postura do governo é que sua posição não se limite a essas medidas. Estamos abertos ao diálogo”, disse Cardozo.

Cardozo considerou que o atual sistema político no país é a “porta principal para a corrupção no país”. “A atual conjuntura aponta para uma necessária mudança do nosso sistema político atual para que tenhamos um sistema político que feche as portas para a corrupção. Não é mais possível que continuemos a ter o financiamento privado de campanhas”, defendeu.

Miguel Rossetto, ministro da Secretaria-Geral da Presidência afirmou que as manifestações realizadas neste domingo partiram de setores da sociedade críticos ao governo, formados em sua maioria por “eleitores que não votaram na presidenta Dilma Rousseff”. “São legítimas, o que não é legítimo e aceitável é o golpismo, a intolerância e o impeachment infundado que agride a democracia”, afirmou.

Rossetto defendeu as medidas de ajuste fiscal anunciadas pelo governo para “arrumar as contas públicas” e afirmou que o governo está disposto a fazer ajustes em relação a elas. “Os ajustes dão conta de ampliarmos do diálogo sobre o conjunto de medidas que foram anunciadas. Estamos renovando todo o ambiente de diálogo para qualificar essas medidas que são importantes e necessárias”, defendeu.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!