Fluência em inglês é diferencial em mercado de trabalho recessivo

Em um mercado que registra mais de 11 milhões de desempregados, ter fluência em inglês tornou-se um diferencial que pode ser decisivo na conquista de um novo emprego ou para manter o atual. Por isso, aproveitar as oportunidades de incentivo oferecidas pelas empresas ou realizar um curso por conta própria se tornou uma das prioridades dos profissionais. No Cel.Lep, uma das maiores e mais reconhecidas escolas de idiomas de São Paulo, cerca de 70% dos alunos estão vinculados a empresas que subsidiam o estudo do idioma para seus colaboradores, e outros 30% são de profissionais que estão buscando maior qualificação por conta própria.

“A atuação das empresas está cada vez mais internacionalizada, e o idioma inglês se tornou um dos diferenciais que podem definir o futuro da carreira, principalmente em um momento de retração econômica, onde o mercado está mais seletivo e exigente”, observa Marcos Benutto, diretor comercial do Cel.Lep.

Segundo pesquisa divulgada recentemente pela empresa de recrutamento Hays, e realizada junto a 3.600 profissionais, o idioma estrangeiro ainda é uma barreira para muitos candidatos. Encontrar profissionais com inglês fluente, principalmente na área comercial, é um requisito que tem demandado atenção das empresas.

Ao mesmo tempo em que as empresas dão prioridade para profissionais que falem o idioma, muitos candidatos também olham com mais interesse as ofertas de emprego em empresas que oferecem, entre seus benefícios, bolsas de estudo ou incentivo para estudo de idiomas, destaca Benutto.

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!