Home Notícias Mundo Exército americano tem primeiro homem trans militante

Exército americano tem primeiro homem trans militante

Publicidade

Exército americano tem primeiro homem trans militante
Foto: BBC Mundo
0
Publicidade
Shane Ortega, apontado como o primeiro soldado abertamente transexual nos EUA, há anos luta pelo fim da política discriminatória, que força os militares a abandonar sua carreira por viver de acordo com sua identidade de gênero.Na última década, Ortega foi enviado duas vezes ao Iraque e uma vez ao Afeganistão – as duas primeiras como mulher e a terceira como homem, o gênero com o qual ele se identifica.

Em 2011, o Exército americano revogou a política do “Don’t Ask, Don’t Tell” (não pergunte, não responda), que impedia a presença de homossexuais declarados nas tropas do país. Mas os transexuais ficaram de fora da medida e, até hoje, podem ser dispensados por considerar-se que eles podem sofrer de transtornos psicológicos.

Ortega, que atualmente trabalha como líder de uma equipe de helicópteros na 25ª Divisão de Infantaria do Exército no Havaí, diz que teve sorte – já que, apesar de ele ter iniciado sua transição para se tornar um homem em 2011, seus superiores nunca questionaram sua habilidade em servir as Forças Armadas.

‘Como qualquer outro soldado’

“Fico feliz mas ao mesmo tempo vivo com cautela, já que (o fato de) terem anunciado a revisão de nosso status não significa que as coisas já tenham mudado”, diz Ortega sobre a decisão do Pentágono de criar um grupo de trabalho cuja missão é estabelecer, nos próximos seis meses, a rota para a integração de transexuais ao Exército americano.

Nos registros do Exército, Ortega ainda aparece como mulher e, em algumas ocasiões, se vê forçado a usar um uniforme feminino - algo bastante incômodo ante seu porte atlético, fruto de sua paixão pelo fisiculturismo (Foto: BBC Mundo)
Nos registros do Exército, Ortega ainda aparece como mulher e, em algumas ocasiões, se vê forçado a usar um uniforme feminino – algo bastante incômodo ante seu porte atlético, fruto de sua paixão pelo fisiculturismo (Foto: BBC Mundo)
Ele conta que, salvo algumas exceções, tem sido bem recebido por seus colegas homens, com os quais compartilhou uma tenda enquanto serviu no Iraque e no Afeganistão, ‘como qualquer outro soldado’.”Somos profissionais fazendo nosso trabalho. Tínhamos que compartilhar os chuveiros e não houve nenhum problema”, explica.

Com informações da BBC
Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!