Home Notícias Saúde Estatinas e aspirina previnem ataques cardíacos e reduzem sua gravidade

Estatinas e aspirina previnem ataques cardíacos e reduzem sua gravidade

Publicidade

Estatinas e aspirina previnem ataques cardíacos e reduzem sua gravidade
Foto: Freeimages.com
0
Publicidade

De acordo com uma nova pesquisa, estatinas e aspirina não só ajudam a prevenir ataques cardíacos, como também podem reduzir sua gravidade.

Um estudo com quase 15.000 pacientes descobriu que pessoas que tiveram um ataque cardíaco ou um caso grave de angina instável tiveram duas vezes mais probabilidade de sobreviver se tivessem tomado estatinas. Outros comprimidos utilizados para prevenir ataques cardíacos – incluindo betabloqueadores e inibidores de ACE – também estão ligados a uma redução na gravidade dos ataques.

O estudo foi publicado após duas revistas médicas entrarem em guerra sobre a segurança do medicamento. Uma grande revisão na revista The Lancet concluiu que as pílulas são seguras e seus benefícios superam qualquer dano. Mas o jornal rival The BMJ, em seguida, lançou dúvidas sobre as afirmações, alegando que efeitos colaterais “adversos” são muito mais comuns do que o estudo implícita.

No último estudo, pesquisadores na China descobriram que as medicações preventivas também poderiam ser benéficas para pacientes que têm ataques cardíacos. Eles testaram medicamentos, incluindo aspirina, estatinas, betabloqueadores e bloqueadores dos receptores da angiotensina em pacientes que estavam no hospital com síndromes coronárias agudas (SCA).

Estas condições, que incluem a angina instável e ataques cardíacos, ocorrem quando as artérias que transportam sangue e oxigênio para o coração ficam bloqueadas.

Cientistas do Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Pequim compararam os efeitos do uso prévio do medicamento em pacientes que tiveram um histórico de doença cardiovascular (DCV) com aqueles que tinham sido admitidos com SCA, pela primeira vez.

Os resultados mostraram que o uso prévio de medicamentos por pacientes que tinham experimentado previamente SCA reduziram significativamente a gravidade dos efeitos.  Dr. Min Li, que estava liderando o estudo, disse: “Nossos resultados sugerem que os benefícios destes medicamentos podem se estender além da prevenção da SCA. Eles também podem reduzir a gravidade da doença, e resultados adversos, em todos aqueles que desenvolvem um SCA, apesar de tomar os medicamentos”.

O professor Michel Komajda, diretor do programa de ESC, acrescentou: “Sabemos que muitos pacientes de ataque cardíaco param de tomar seus medicamentos preventivos.  Precisamos fazer mais para incentivar a adesão, e para ajudar os pacientes a adotar comportamentos de vida saudáveis.” A pesquisa já está publicado na revista Plos One.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!