Home Notícias Mundo Estado islâmico mata 13 adolescentes por terem visto um jogo de futebol

Estado islâmico mata 13 adolescentes por terem visto um jogo de futebol

Estado islâmico mata 13 adolescentes por terem visto um jogo de futebol
Treze adolescentes torcedores da seleção de futebol do Iraque foram presos e mortos com metralhadoras na cidade de Mosul por militantes do grupo terrorista do Estado Islâmico (Foto: Mirror/Reprodução)
0

Combatentes do Estado Islâmico assassinaram 13 jovens por “violar a lei islâmica” assistindo pela TV um jogo de futebol entre as seleções do Iraque e Jordânia na Copa da Ásia, segundo informa o ‘The Daily Mirror’ .

Os jovens pagaram o preço mais alto possível por seu amor ao esporte e, após capturados, foram metralhados em uma arena na cidade iraquiana de Mosul. controlada pelo EI.

As vítimas foram presas no distrito de Yarmouk, em Mosul , após o jogo, que foi disputado na Austrália na semana passada. A equipe iraquiana venceu por 1-0, graças a um gol do atacante Yaser Kasim.

Foto: wikipedia.org / Reuters
Yaser Kasim, atacante da seleção iraquiana de futebol (Foto: wikipedia.org / Reuters)

Os 13 adolescentes foram cruelmente executados pelo simples fato de terem assistindo futebol pela Tv, que é uma das proibições impostas pelos jihadistas que espalham a “Sharia” em áreas ocupadas no Iraque.

O que é a ‘Sharia’?

A Sharia é o corpo da lei religiosa islâmica. O termo significa “caminho” ou “rota para a fonte de água”, e é a estrutura legal dentro do qual os aspectos públicos e privados da vida do adepto do islamismo são regulados, para aqueles que vivem sob um sistema legal baseado na fiqh (os princípios islâmicos da jurisprudência) e para os muçulmanos que vivam fora do seu domínio. A Sharia é lida com diversos aspectos da vida cotidiana, bem como a política, economia, bancos, negócios, contratos, família, sexualidade, higiene e questões sociais.

É também o nome que se dá ao Direito Islâmico. Em várias sociedades islâmicas, ao contrário da maioria das sociedades ocidentais, não há separação entre a religião e o direito, todas as leis sendo religiosas e baseadas nas escrituras sagradas ou nas opiniões de líderes religiosos.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!