Home Notícias Mundo Em resposta aos ataques, França bombardeia reduto do EI

Em resposta aos ataques, França bombardeia reduto do EI

Publicidade

Em resposta aos ataques, França bombardeia reduto do EI
0
Publicidade

(ANSA) – A França respondeu a série de atentados ocorridos em Paris, na última sexta-feira (13), com um maciço ataque aéreo contra a cidade síria de Raqqa, considerada a “capital” do Estado Islâmico (EI, ex-Isis). Nas últimas horas, foram cerca de 30 ataques realizados por 12 jatos franceses. Segundo o Ministério da Defesa, a ação foi realizada com auxílio dos Estados Unidos, que forneceu dados da Inteligência com os pontos a serem atacados.

Em nota, o governo informou que foram destruídos um centro de comando, um campo de treinamento, um local de admissão de recrutas, entre outros pontos considerados fundamentais para o funcionamento do grupo. Os ativistas que atuam na região descreveram a cidade como um “inferno” na terra e disseram que grandes partes de Raqqa estão envoltas em chamas. O ataque aéreo veio um dia após os terroristas do EI confirmarem que foram eles que planejaram a série de ataques na França, que culminaram em, ao menos, 132 mortes. Neste domingo (14), as forças de Inteligência descobriram que foi o o “califa” Abu Bakr al-Baghdadi quem ordenou os atentados contra “os infiéis” e que ele havia advertido Paris, Teerã e Washington um dia antes da série de ações na capital francesa.

Segundo informações obtidas pela agência de notícias Associated Press, o “grupo de fogo” usado para atingir Paris “era composto por 24 membros, 19 com ordens para efetuar os ataques e treinados em Raqqa, e outros cinco para a coordenação e a logística”. O “esquadrão da morte” do EI ainda entrou em contato com uma célula do grupo no país que “facilitou o cumprimento da missão”.

Funcionários do governo norte-americano confirmaram que al-Baghdadi ordenou a criação de um departamento que tem a missão específica de atingir pontos no exterior, “especialmente, na Europa Ocidental e nos Estados Unidos”. O próprio premier francês, Manuel Valls, confirmou que seu governo “sabia que estavam preparando ataques não só na França, mas em toda a Europa”. Ele ainda informou que as autoridades do país já fizeram “mais de 150 investigações” sobre atentados que não ocorreram na nação.

Já o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, revelou que “sete atentados foram desmantelados nos últimos seis meses” na Europa. O britânico ainda destacou que seu governo “sabe que há células terroristas que realizam os ataques a partir da Síria”.

A questão realmente envolve toda a Europa já que, segundo os investigadores, o ataque foi liderado e idealizado pelo belga Abdelhamid Abaaoud. Ele era o chefe da célula jihadista neutralizada pelas forças especiais da polícia belga em janeiro deste ano, após os ataques ao jornal francês “Charlie Hebdo”.

Playstation

Segundo o jornal “The Telegraph”, os investigadores estão analisando a possibilidade de que a comunicação para realizar os atentados tenha sido feita através da criptografia existente no aparelho Playstation 4, da Sony. A publicação ressalta que, ao menos, um equipamento foi encontrado na casa de um suspeito belga de ter planejado os ataques.

Publicidade

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!