Home Notícias Mundo Em congresso, Coreia do Norte aprova ampliação de arsenal nuclear

Em congresso, Coreia do Norte aprova ampliação de arsenal nuclear

Em congresso, Coreia do Norte aprova ampliação de arsenal nuclear
Foto: Reprodução / KCTV
0

(ANSA) – O congresso do único partido que governa a Coreia do Norte aprovou uma ampliação do arsenal de armas nucleares do país, ratificando a política do presidente e ditador Kim Jong-un, informou a agência de notícias oficial do país, a KCNA.

Em discurso na reunião do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte, a primeira em 36 anos, o líder político afirmou que seu país “é uma potência nuclear responsável” e que não há planos para uso desses armamentos “a menos que a nossa soberania seja violada por forças hostis e agressivas com testes nucleares”.

Kim Jong-un ainda mandou um recado aos Estados Unidos para que eles “não alimentem a competição intercoreana” e que “não interfiram” na península e nas questões com a Coreia do Sul.

Para o presidente, seu governo está pronto para ter “relações amigáveis” com os países que “respeitam nossa soberania”. No entanto, o principal aliado dos norte-coreanos, a China, não enviou nenhum representante para o evento, mostrando um distanciamento após os recentes testes nucleares conduzidos pelo governo local.

Outro ponto bastante abordado pelo líder foi a reaproximação com os vizinhos do Sul, que “reflete os desejos de nosso povo”.

Prometendo fazer “todos os esforços” para ativar e reforçar o diálogo com Seul em vários níveis, Kim Jong-un destacou que “as duas partes devem respeitar o caso e unirem forças como parceiros para abrir um novo capítulo que possa promover um movimento para a unificação da península, que agora está dividida”.

Porém, para que isso aconteça, Pyongyang exige que os norte-americanos deixem suas bases na Coreia do Sul e parem de apoiar militarmente Seul. Se isso for colocado em prática, o governo se comprometeu a colocar em prática um tratado de paz que substitua o armistício da Guerra da Coreia. Mas, fontes do governo sul-coreano já informaram que isso não ocorrerá.

Todavia, a política do “byungjin” – que faz um desenvolvimento paralelo do programa nuclear e da economia – não será abandonada. Para a segunda, que quase não teve espaço nas conversas, o plano quinquenal apontou uma preocupação para melhorar a qualidade de vida da população e resolver os problemas na geração de energia elétrica.

Além disso, o documento apresentou detalhes que mostram os “esforços” do governo para ter um crescimento sustentável após as sanções mais severas impostas por países e pelas Nações Unidas por conta dos recentes testes nucleares conduzidos por Pyongyang.

Repórter expulso

O repórter Rupert Wingfield-Hayes e outros dois funcionários da emissora londrina “BBC” – a produtora Maria Byrne e o cinegrafista Matthew Godard – foram detidos e serão expulsos da Coreia do Norte enquanto cobriam a convenção do partido, informou a própria empresa de comunicação. Eles prestaram depoimentos por mais de oito horas e serão mandados embora do país por estarem fazendo uma “cobertura jornalística pouco respeitosa” sobre o evento.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!