Home Notícias Brasil RN Docentes da UFRN irão paralisar atividades no próximo dia 22

Docentes da UFRN irão paralisar atividades no próximo dia 22

Docentes da UFRN irão paralisar atividades no próximo dia 22
Foto: Divulgação
0

Em uma assembleia realizada nesta segunda-feira (19), no auditório da Escola de Música, campus central da UFRN, os docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte decidiram paralisar as atividades na próxima quinta-feira (22).

O ato é um protesto contra os projetos que tramitam no Congresso Nacional. Entre as medidas, a Proposta de Emenda à Constituição 241/2016 (que cria um novo Regime Fiscal e reduz investimentos públicos na saúde e educação para os próximos 20 anos), o projeto de Lei 257/2016 (que trata, principalmente, das condições de renegociação da dívida dos Estados e Municípios), Reforma Previdenciária como também a luta em defesa do Pré-sal.

“Precisamos mostrar que os servidores públicos, especialmente os professores, estão preocupados não apenas com o destino de suas carreiras, mas das Universidades Públicas e das conquistas que foram feitas ao longo desses últimos anos”, ressaltou o presidente do ADURN-Sindicato, Wellington Duarte, ao falar da importância da decisão da categoria.

Ao desmontar a PEC 241/16, o dirigente chamou atenção para a necessidade em se ampliar a discussão das medidas que vêm sendo implementadas e atingem os trabalhadores, os servidores e os serviços públicos e benefícios destinados à população, especialmente nas áreas de educação e seguridade (saúde, previdência e assistência). “A PEC 241 e as outras propostas desse governo são um atraso, provocarão uma regressão muito grande tanto na carreira como nos salários e na estrutura das Universidades”, alertou.

Os docentes alertaram sobre, segundo eles, as ameaças da plataforma do governo de Michel Temer aos direitos sociais. “É importante a paralisação para que a população possa saber exatamente as implicações desse golpe nefasto na nossa sociedade, nossa educação, nossa saúde, nosso futuro. É importante que a gente pare para unir forças e lutar nessa resistência contra esse golpe”.

“Diante desse quadro que estamos vivendo não podemos ter uma atitude de acomodação e precisamos estar, especialmente no dia 22, que é uma mobilização nacional, mobilizados”, considerou Magnolia de Araújo, do departamento de Microbiologia e parasitologia.

As falas convergiram para a preocupação com o cenário que vai se apresentado grave para Educação e Universidades Públicas e o papel dos professores da UFRN nesse processo.

A professora Angela Ferreira, do Departamento de Odontologia, classificou como “extremamente grave” a perspectiva para as áreas da Saúde e Educação se aprovada a PEC 241, lembrando, ainda, dos prejuízos aos trabalhadores de todo o país e, particularmente, para o funcionalismo público. “Dia 22 vai ter uma mobilização a nível nacional, e nosso Sindicato não poderia deixar de estar junto. Será uma importante forma de resistir a esse verdadeiro desmonte do estado brasileiro. Nós vamos nos contrapor e o Sindicato está de parabéns pela forma como está liderando esse processo de resistência”, enfatizou.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!