Após críticas, Eduardo Cunha recua de medida que autoriza passagem para cônjuge de deputado

Diante da repercussão negativa gerada após a aprovação do benefício da extensão de passagens aéreas para os cônjuges de parlamentares pela Câmara dos Deputados, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-PE) recuou da decisão. A suspensão do benefício deverá ser anunciada nesta terça-feira (3). Neste final de semana, ele havia dito que a competia à Mesa Diretora decidir pela manutenção ou não do benefício.

O assunto foi alvo de uma discussão realizada na manhã desta segunda-feira (2) entre Cunha e os membros da Mesa Diretora. O comando da Câmara aprovou na quarta-feira, 25 de fevereiro, um pacote de reajuste para benefícios dos deputados que terá um impacto anual de R$ 150,3 milhões nos cofres da Casa. Os cônjuges dos deputados foram autorizados a usar passagens em viagens do Estado de origem a Brasília.

Eduardo Cunha admitiu que a repercussão contrária à medida motivou o recuo. “Realmente, a repercussão foi muito negativa, eu reconheço que a repercussão foi negativa”, disse. “Eu acho que não houve o procedimento correto sobre o que existia no passado. De qualquer forma, nós estamos sempre subordinados à vontade da opinião pública e, se nós fizemos efetivamente algo que a repercussão não está positiva, cabe a nós fazermos a ‘mea culpa’ e corrigirmos”, declarou.

O recuo ocorre após a repercussão negativa da medida, onde até um abaixo-assinado está sendo realizado para demonstrar a insatisfação da população com tal medida.

você pode gostar também

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!