Home Notícias Brasil RN Natal Adolescente é mantido em cárcere privado por padrasto há mais de 30 horas em Natal

Adolescente é mantido em cárcere privado por padrasto há mais de 30 horas em Natal

Adolescente é mantido em cárcere privado por padrasto há mais de 30 horas em Natal
Foto: Reprodução/G1
0

Um adolescente de 14 anos de idade é mantido refém pelo padrasto em um apartamento na Zona Sul da cidade de Natal, no Rio Grande do Norte. De acordo com informações policiais, o cárcere já dura mais de 30 horas. A Polícia Militar permanece no local em negociação com o homem que é um agente penitenciário aposentado de 52 anos.

Segundo a PM, o ocorrido iniciou com uma briga familiar na noite de quinta-feira (11). O homem começou uma discussão com a esposa – de quem está se separando -, e quando começou a ficar agressivo a mulher fugiu com a filha de 21 anos. Ainda segundo informações da PM, a mulher tentou levar o filho, mas o padrasto do menino impediu. Desde então, o menino é mantido refém dentro do apartamento.

A motivação do cárcere privado ainda é desconhecida pela PM, que informou que o homem exige a presença da esposa e da enteada no local. O aposentado está armado e, de acordo com a PM, na madrugada de sexta-feira foram disparados seis tiros no apartamento.

Durante toda a sexta-feira policiais militares mantiveram a negociação com o aposentado. Ele pediu comida e cigarros. Já durante a madrugada deste sábado (14), o homem pediu insulina – porque é diabético – e uma equipe médica que está de plantão no local providenciou o medicamento. Na manhã deste sábado ele voltou a pedir insulina e solicitou também um café da manhã.

Em relação à alimentação, os policiais relataram que o aposentado afirmou que se a comida viesse envenenada quem morreria era o garoto porque ele só come quarenta minutos depois de o enteado ter se alimentado.De acordo com o major Rodrigues Barreto, que coordena as negociações, a polícia sinalizou que iria cortar a energia e a água do apartamento, mas o aposentado se alterou e a PM recuou. A polícia diz que o padrasto apresenta mudanças de comportamento e já chegou a bater no menino. O objetivo da polícia é manter as negociações até que o padrasto se entregue e liberte o garoto.

As informações são do G1.

Romário Nicácio Administrador de Redes. Redator e co-fundador do Portal N10. Redator de sites desde 2009.
error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!